Como o Particularismo Histórico Afeta a Globalização?

Até a segunda Guerra mundial, a economia mundial era ditada por reis e imperadores, com o fim da segunda guerra mundial, a economia mundial passou a ser ditada por dois polos os Estados Unidos e a União Soviética, em um conflito ideológico, conhecido historicamente como Guerra Fria.Com o final da Guerra Fria então se iniciou a era da Globalização.

Estas mudanças que foram feitas no processo de globalização somente foram possíveis graças a correntes filosóficas e culturais como as do particularismo histórico, sob influencia destas linhas de pensamentos, se começa então a adquirir uma nova influencia no mundo com a globalização, bem como os efeitos mais profundos em termos culturais e filosóficos  que  se foi criou com o novo cenário geopolítico brasileiro.

Como que o Particularismo Influenciou a Geopolítica Mundial?

O particularismo prevê, um grande papel na questão da chamada formação da cultura politica mundial, que passou por uma extensa redefinição de modo especial quando falamos da questão que está ligada diretamente a relação com que existia já desde 1917 com esta corrente histórica e que não foi rompida com o fim do comunismo no mundo, que vamos colocar aqui entre geopolitca e particularmos.

O particularismo histórico, foi um movimento cultural, que ganhou enorme força recentemente com a revolução russa que implementou os primeiros sistemas políticos baseados nesta discussão que foi levantada por Franz.

É importante de frisar, que quando falamos desta questão de impactos de pensadores no processo de globalização e modo especial quando falamos da questão do particularismo histórico, estamos falando de mais nada de uma questão que tem mudado de forma muito importante a forma com que fazemos e desenvolvemos politica mundo moderno.

Quando falamos em termos de mudanças estratégicas estamos falando de modo muito especial de uma proposta cultural que o particularismo histórico faz para realizar uma profunda discussão e até mesmo mudança na forma com que se faz a politica em se falando de questões de médio e longo prazo.

Como o particularismo histórico, é um movimento cultural que teve grande influencia na formação da cultura politica, como se conhece, pois foi graças a este movimento cultural, que se possibilitou desenvolvimento de ideologias que permitiram substituir o absolutismo e autoritarismo de monarquias absolutistas que estavam em queda na época, por sistemas comunistas que hoje em dia se tornaram eficientes.

E com relação ao capitalismo, este movimento cultural influenciou de forma muito especial todos os processos de formação do novo mundo, de modo especial após os anos de 1945 quando os Estados Unidos venceram a guerra, este movimento passou a exercer uma influencia até mesmo hegêemonica sobre a cultura politica da época.

Como o particularismo histórico pode influenciar a cultura politica mundial após a queda URSS(União das Republicas Socialistas Sovieticas)?

Apos a queda da União Soviética, este movimento cultural, começou a influenciar de modo muito especial os acordos políticos internacionais que seriam celebrados na sequencia e com este evento histórico mundial, contribuindo de maneira muito ampla e até mesmo muito positiva para desenvolvimento das democracias de toda a parte do mundo conhecido na época.

Assim, este sistema cultural, que foi desenhado a mais de 100 anos antes começou a exercer uma verdadeira revolução em termos de pensamento politico, pois com o fim do comunismo decretado no mundo o que sobrou foi apenas o capitalismo como um sistema global, que foi fundamentado totalmente no particularismo histórico pregado por Franz.

Portanto, é necessário que se reflita no particularismo e como este sistema pode afetar de maneira muito ampla a matriz geoglobal, que se formou no período do pós-guerra fria e como os sistemas políticos de toda a parte do mundo se constítuiram, como uma verdadeira máquina de sobrevivência, que é totalmente baseado nas questões mais profundas diria até mesmo mais delicadas do particularismo histórico.

Assim, com o fim da guerra fria se possibilitou que se fizé-se um novo conceito e até pela formação de uma nova mentalidade, em termos de uso do particularismo como influenciador da cultura poiítica e como este movimento cultural, possibilitou que se forma-se de maneira muito ampla uma nova concepção global de politica.

A Globalização nos Dias de Hoje:

Com o advento de homens e mulheres como Donald Trump e Teresa May,, a globalização perdeu a sua força que tinha quando começou a ser desenvolvida nos anos 90, isto também se deve devido a ameaça terrorista, que vem assolando a muitas pessoas tanto na Europa como nos Estados Unidos.

Com a ascensão de grupos terrroristas como o Estado Islâmico e o Boco Ora.Vários atentados foram eclodidos na Europa e foi inspirado vários atentados terroristas domésticos nos Estados Unidos, que sempre tiveram atentados terroristas domésticos, mas agora a coisa piorou ainda mais com a ascensão deste tipo de grupo terrorista.

Devido a estes e outros tantos fatores, se elegeu tanto nos Estados Unidos por meio do colégio eleitoral, como no Reino Unido por meio do Parlamento, lideranças que são radicalmente contra o processo de globalização, por segundo alegam gerar diversos problemas dentre eles a falta de emprego nestes países.

Assim, com a ascensão de Donald Trump e Teresa May, o processo de globalização perdeu sua força e passaram a falar inclusive de desglobalização. Devido a estas ameças globais.

Porém a globalização ainda existe, existe uma matriz econômica que ostenta este processo e se beneficia portanto a globalização está fraca politicamente mas continua forte economicamente.

Com estes fatores o particularismo histórico, assume um papel fundamental quando propõe a ideia do relativismo, ou seja da possibilidade de se mudar com o tempo a curto e médio prazo e ruptura total com a teoria do Darwismo.

Pois traz uma reflexão extremamente importante que julgo ser muito positiva para uma redefinição do processo de globalização.

Como o Particularismo Histórico Pode ser Utilizado Para o Processo de Globalização?

Diante deste novo cenário politico econômico e social, que a ascensão destas novas lideranças trazem, podemos dizer que o particularismo histórico propõe um ponto de equilíbrio entre a razão de tudo isto que deve ser considerada sob os mais diversos aspectos.

Pensando desta forma podemos classificar o particularismo histórico, como s endo algo extremamente importante para que possamos entender de fato o fundamento destes processos que foram iniciados recentemente com Brextreet e com a retírada de Trump do Nafta e o reconhecimento dos Estados Unidos de Jerusalém, como capital de Isralense, que está causando um verdadeiro tremor no mundo árabe.

Para entendermos melhor qual o significado e o que vem a ser o desenvolvimento da ideia do particularismo histórico, sob o ponto de vista de uma ótica cultural, temo que entender que esta corrente cultural, é um movimento, que representou uma grande revolução na forma com que se pensa em termos de politica e é a base para a geopolitica atual.

Portanto, quando falamos de globalização temos que levar em conta como um fundamento para o desenvolvimento desta questão o particularismo histórico, que vem se afirmando como uma base cultural para a formação de uma cultura global politica extensa.

Globalização X Desglobalização?

Hoje se fala muito, na questão de anular a globalização ou seja fazer a anulação de todo o processo de globalização, devido a questões relacionadas de modo especial ao terrorismo que é promovido por governos absolutistas do oriente médio.

Para entenderemos melhor todo o contexto, vamos analisar como era a cultura politica do mundo até 1917:

  1. Até 1917, O mundo era governado por reis absolutistas que não podiam ser questionados e tinham total liberdade;
  2. A cultura politica, até este ano era uma cultura extremamente exploradora, o rei era praticamente o dono do pais em questão e sugava a população ao máximo
  3. Era um mundo agrícola e havia muita pobreza que afetava a grande maioria da população;

Depois de 1917, quando se implementou a primeira experiencia baseada no particularismo histórico, isto revolucionou a cultura política criando uma visão mais para o povo.

Mas as monarquias absolutistas, não acabaram ficaram reis que tentam a todo instante retomar os tempos de gloria, patrocinando o terror.

Com o terrorismo em alta, emerge lideres mundias.

E assim se começou a tentar se desglobalizar o mundo como se conhece.

Porém é importante frisar que o processo de globalização iniciado no inicio dos anos 90, com o fim da Guerra fria, é processo que não tem volta, pois:

  1. Não existe mais nenhum pais ou ameça global ao nível que era a URSS na Guerra Fria, o terrorismo é algo pontual e que se resolverá por meio de combates;
  2. A globalização, não é culpada pelo terrorismo e ela pode ajudar neste sentido diminuindo vastamente a influencia sobre destes grupos no ocidente.

Com isso, se chega a conclusão que a globalização não será anulada e sim diminuída a sua ação devido a processos como o Brext e a saída dos Estados Unidos do NAFTA.

Dentro da ideia do particularismo histórico, podemos afirmar que o processo de globalização pode ser definido como uma tentativa de forma bastante implícita de se fazer o que se chama por globalização de cultura politica no mundo.

O Particularismo Histórico na Cultura Política Impõe Algum Monoculturalismo?

Atualmente, existe algumas classificações de culturas, temos de um lado o monoculturalismo que é quando um governo tenta impor uma cultura para determinada localidade ou mesmo pais sendo assimilacionista, quando ocorre a destruição total da cultura e o relativista quando esta cultura se sobrepõe a outra cultura.

É importante frisar e deixar muito claro que o monoculturalismo não é algo que se possa descartar e dizer que não existe nos dias de hoje.

E temos o multiculturalismo, que é a convivência pacífica com várias culturas.

O particularismo histórico não impõe nenhum tipo de processo cultural assimilacionista, porém ao longo do tempo em que fora aplicado este moimento cultural fora usado como ferramenta para realizar a assimilação de cultura e a monoculturalização de vários povos.

Em termos de politica, podemos classificar que o particularismo histórico, se mostra como uma ferramenta que pode sim ser usada como processo de monoculturalização politica, destruindo culturas politicas como por a cultura politica do particularismo ou mesmo as próprias culturas politicas do absolutismo, que embora estejam fortalecidas, não estão abaixo da cultura politica democrática atual.

Assim é de fundamental importância, até mesmo extremamente necessário que se busque por pensar que o particularismo histórico, é algo que não prega a assimilação de culturas, mas que é usado pela matriz global, como forma de fazer a assimilação do processo em questão gerando assim danos irreparáveis a cultura local.

Este foi um dos argumentos usados pelas lideranças atuais, para desencadearem o processo de desglobalização ao qual não se vê muitos resultados pois existe uma ostentação politica e econômica muito forte com relação esta questão.

E as Questões da Identidade Étnica Como Fica com o Particularismo Histórico na Geopolítica Mundial?

A cultura politica afeta diretamente o funcionamento de diversos sistemas democráticos e políticos de toda a parte do mundo, podendo inclusive ser usado como pretexto para que se faça a derrubada de governos, como ocorreu na primavera arabe.

Por exemplo, o movimento recente que teve no Oriente Médio, a chamada primavera árabe, foi baseado em contato com o particularismo histórico, onde os jovens foram as ruas e derrubaram os governos ditatoriais de seus países.

A cultura política, também afeta diversas relações culturais e sociais pelos quais devem ser preservada, mas com o processo assimilacionista gerado com base no particularismo histórico interpretado de maneira errado, sendo o que se vê na um severo problema de identidade pelo qual o processo de globalização impõe e o particularismo histórico realiza com efetividade por de pensamentos justamento contrários as ideias monoculturalistas.

Segundo artigo publicado recentemente, existe um problema extremamente grave e até mesmo complexo pelo qual se deve levar em conta que é o praticamente extermínio de grupos étnicos na africa, que vem acontecendo por pessoas ligadas a países que promovem a globalização.

Este é um dos motivos base, pelo qual as pessoas não querem a globalização por isso é preciso que antes e acima de tudo se pense em termos de globalização, como um processo cultural assimilacionista, mas que de nada tem haver com o que o particularismo histórico propõe por meio de seu criador Franz.

Porém, as pessoas que promovem, isto alegam que este processo é um processo extremamente baseado na linha cultural d particularismo histórica e até  mesmo chegam em alguns casos a distorcer o que é falado e colocado dentro da ideia do particularismo histórico.

Conclusão:

Podemos concluir, que o particularismo histórico tem como base uma influencia tanto positiva como negativa principalmente no que diz respeito a questão de globalização e geopolítica mundial e ao mesmo tempo que é usado de forma equivocada para promover extermínio e o que é classificado por muitos estudiosos como um conflito identitário.

Pois sim, a globalização gera um conflito identitário, que se tenta justificar usando o particularismo histórico e de um outro lado existe a questão do funcionamento de sistemas políticos, que não somente podem como devem funcionar de acordo com o que se propõe em termos de politica pelo particularismo histórico.


Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Antropologia

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *