Conceito de Antropologia e Outras Informações

A Antropologia é o estudo do homem, mas não sob um único aspecto. A antropologia tece um estudo detalhado do homem tanto como ser biológico, como também levando em consideração aspectos sociais e culturais.

Desta forma, a antropologia arregimenta sob seus aspectos, dimensões muito amplas, o que faz com que ela seja organizada em áreas que indiquem vertentes a serem privilegiadas sob este estudo, como Antropologia Social, que foca os aspectos da organização social e política, ou ainda a Antropologia Biológica, que se centraliza nos aspectos genéticos e biológicos do homem.

Podemos entender que a antropologia permite entendermos quem somos, a partir de elementos que nos representam e que são criados a partir de nossas organizações sociais, fazendo com que nos reconheçamos exatamente no espelho dos outros.

Dentre os mais famosos antropólogos, podemos destacar Claude Lévi-Strauss, Bronislaw Malinowski, Raymond Fiirth, Marcel Griaule e Germaine Dieterelen. Entre os antropólogos brasileiros, destacamos: Darcy Ribeiro, Gilberto Freyre e Miriam Goldenberg.

Introdução à Antropologia

A Antropologia é uma ciência que estuda o homem em todas as suas dimensões: biológica cultural e social. No aprofundamento destes estudos, foi organizada em duas áreas de interesse principais, dada a abrangência de cada segmento, a Antropologia Biológica e a Antropologia Cultural, cada uma delas abrigando ainda inúmeras subdivisões e correntes de pensamentos em sua construção.

As principais áreas de interesse da ciência antropológica são:

Antropologia Biológica ou Física, que privilegia o estudo e a pesquisa dos aspectos biológicos e estéticos do homem ao longo de sua evolução;

  • Antropologia Social, que estuda os parentescos, as instituições sociais, a organização política e social;
  • Antropologia Cultural, que estuda o comportamento, religião e os sistemas simbólicos;
  • Arqueologia, que estuda as condições de existência de grupos de homens já desaparecidos.

Todas essas áreas de abrangência são focadas sobre um determinado grupo de homens, que pode ser delimitado por região, raça, período em que viveu, etc. São capazes de reconstruir esse grupo, sua diversidade social e cultural e entender as transformações da humanidade através da evolução do mesmo.

Alteridade e Antropologia

A antropologia é o estudo o homem e dos fenômenos sociais, desde a antiguidade até os dias atuais, através do conhecimento de todos os fatores que lhe são comuns, como os traços genéticos e biológicos, costumes, hábitos alimentares, religiões, relações sociais e de parentesco e tudo que diz respeito à sua relação com o outro e o meio em que vive.

Segundo os cientistas sociais, para se chegar a este conhecimento, a alteridade é um conceito fundamental, pois é através do conhecimento do outro que se pode conhecer a si próprio. A alteridade é definida como “estado ou qualidade daquilo que é outro”, ou seja, é através da relação entre aquilo que o outro é e o que eu sou é que posso me conhecer e me descobrir integralmente.

Quando examinamos a cultura de outro povo, percebemos imediatamente aquilo que é diferente, porque não é comum a nós. Então, podemos também conhecer a atual cultura, pois só vamos perceber em nós o diferente quando encontrarmos o oposto. A alteridade é um conceito relativo, com foco na diversidade como sendo um dos fundamentos da antropologia.

Antropologia Brasileira

Um belo perfil da Antropologia brasileira pode ser feito através da colaboração dos diversos antropólogos e os cientistas da área, que permeiam o que essa matéria tem feito ao longo dos anos. Podemos traçar assim uma linha do tempo da antropologia brasileira e o seu claro desenvolvimento, ainda que tímido, ao longo dos anos, e como pano de fundo mostrar as tendências e as diversas épocas em que vivemos, verificando através de comentários, orientações e obras que nos auxiliam a traçar um claro perfil da ciência em nosso país.

Há que se considerar que os recursos sejam parcos, uma vez que as ciências tenham pouco ou nenhum incentivo governamental, ou até mesmo privado fazendo com que a Antropologia brasileira, por exemplo, seja resultado do trabalho e da ação de verdadeiros desbravadores de terras inóspitas, que travam no dia a dia uma verdadeira batalha para manter viva a nossa história, e a evolução da sociedade brasileira como um todo.

Na ausência de cientistas sociais, os cronistas tornaram-se verdadeiros heróis da antropologia, relatando em suas linhas, as experiências com o povo e  as mais diversas manifestações sociais, capazes de fazer um retrato antropológico de importante relevância.

Graduação em Antropologia

A antropologia faz parte da área de Ciências Sociais, que estuda as sociedades, suas dinâmicas, seus fenômenos e tudo o que diz respeito a elas, como a cultura, o homem, os povos e suas relações. A antropologia é um dos troncos das Ciências Sociais, junto com a Sociologia e as Ciências Políticas. Aqui no Brasil, para se tornar um antropólogo, é preciso graduar-se em Ciências Sociais e se especializar em antropologia.

O tempo de duração média é de quatro anos. Outras disciplinas estudadas durante o curso de Ciências Sociais são: história, geografia, economia, psicologia, filosofia e metodologia científica. Na grade curricular constam ainda aulas práticas, com pesquisa de campo (coleta, análise e interpretação dos dados empíricos). Para aqueles que pretendem se formar em licenciatura, o estágio supervisionado é obrigatório. Muitas instituições de ensino superior oferecem programas de pesquisa nos três pilares das Ciências Sociais.

Atualmente, já há instituições de ensino superior que oferecem graduação só em antropologia (como também só em Ciências Políticas ou somente em Sociologia). Um graduado em antropologia possui como mercado de trabalho os institutos de pesquisa e órgãos do governo, realizando diagnósticos sobre questões sociais. Outros nichos são ONGs e fundações voltadas para o desenvolvimento social.

Antropologia UFBA

Uma das funções do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA, a Universidade Federal da Bahia, é desenvolver as atividades que dizem respeito ao ensino, a pesquisa e a extensão do Curso de Ciências Sociais.

Com um quadro docente formado por dezoito professores, dentre os quais doze com título de Doutor, cinco Mestres e um com graduação, o Departamento de Antropologia a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas oferece oito disciplinas obrigatórias em seu curso e outras treze que são optativas.

Aos interessados na conclusão do curso para obtenção do título de Bacharel em Antropologia, é exigido um currículo mínimo do curso de Ciências Sociais. Além dos objetivos de formação de profissionais antropólogos qualificados, o Departamento de Antropologia a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, visa também desenvolver programas de estudos e atividades paralelas às disciplinas, com o intuito de aprofundar o conhecimento teórico na área de Antropologia.

Os alunos do ultimo ano do curso devem obrigatoriamente matricular-se na disciplina Prática de Pesquisa, na qual deverá ser elaborada uma Monografia com um trabalho de campo de caráter individual.

Antropologia USP

A antropologia é um ramo das Ciências Sociais com interesse de estudo no homem e na humanidade. Na Universidade de São Paulo (USP), o curso de antropologia pertence à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e possui três objetivos principais: formação dos alunos em Ciências Sociais, formação dos discentes para o exercício em antropologia, e, por último, a formação cidadã.

Ilustres antropólogos que deixaram seus nomes nos livros brasileiros já passaram pela escola de antropologia da USP. Claude Lévi-Strauss, Egnon Schaden e Donald Pierson são alguns exemplos de antropólogos com importantes pesquisas no país.

Algumas das disciplinas do curso de antropologia na USP são de etnologia indígena, antropologia urbana, religiosidade popular e instituição religiosa, antropologia das populações afro-brasileiras e africanas, antropologia e história e antropologia da política e do direito.

A pós-graduação em antropologia na USP existe desde 1984. Até 2005, o programa já havia formado 151 mestres e 166 doutores em Antropologia Social. O departamento conta com 23 docentes.

Especialização em Antropologia

A antropologia surgiu da busca do elo perdido que teria dado origem à raça humana na terra, e seus estudos vão desde as civilizações mais antigas até os grupos sociais da atualidade, sempre buscando entender os fenômenos sociais através do conjunto de fatores que os envolvem, no passado e também no presente.

A área de abrangência da antropologia é muito grande, assim como sua área de especialização, que pode ir desde o direito, meio ambiente, arqueologia, biologia, teologia, etnologia indígena, sociologia, antropologia intercultural, política social e muitas outras.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Antropologia
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *