O Impressionismo de Monet

Um dos pintores mais famosos da história da arte e uma das principais figuras do movimento impressionista, cujas obras podem ser vistas em museus ao redor do mundo, Oscar Claude Monet, nasceu em 14 de novembro de 1840, em Paris, na França. O pai de Monet, Adolphe, trabalhava no negócio no ramo de transportes de sua família, enquanto sua mãe, Louise, cuidava da casa e dos filhos.

Em 1845, quando tinha apenas 5 anos de idade, Monet se mudou com sua família para Le Havre, uma cidade portuária na região da Normandia. Ele cresceu lá com seu irmão mais velho, Leon. Diferente de seu irmão, o artista não era um bom aluno e não gostava de ficar preso dentro de uma sala de aula. Ele estava mais interessado no mundo externo.

Ainda na infância, Monet desenvolveu um grande amor pelo desenho. Ele enchia seus livros escolares com esboços de pessoas, incluindo caricaturas de seus professores. Enquanto sua mãe apoiava seus talentos artísticos, seu pai queria que ele trabalhasse no negócio da família. Monet sofreu muito após a morte de sua mãe, em 1857.

Monet tornou-se conhecido por suas caricaturas e por desenhar muitos dos moradores da cidade. Após se unir a Eugene Boudin, um artista que retratava paisagens, ele começou a explorar o mundo natural em seu trabalho. Boudin apresentou-o as maravilhas de pintar ao ar livre, que mais tarde se tornaria uma das características do trabalho de Moneo artista decidiu se mudar para Paris para continuar sua carreira. Lá, ele teve contato com muitas de suas influências. Durante este tempo, Monet conheceu o colega artista Camille Pissarro, que se tornaria um amigo próximo por muitos anos.

Ele gostava de trabalhar ao ar livre e às vezes era acompanhado por Renoir, Sisley e Bazille nestas jornadas de pintura.

Monet: O Mestre da Luz e Cor

Uma exposição que aconteceu em abril de 1874 provou ser revolucionária. Uma das obras mais notáveis ​​de Monet, “Impressão, Nascer do Sol” (1873), representa o porto de Le Havre com a névoa da manhã. Os críticos usaram o título para nomear o grupo dos artistas impressionistas, dizendo que o trabalho deles pareciam mais esboços do que pinturas acabadas.

Por mais que no início pareça algo pejorativo, o termo pareceu conveniente. Monet procurou captar a essência do mundo natural usando cores fortes e pinceladas curtas. Ele e os artistas de sua época estavam cada vez mais se afastando das cores combinadas e da uniformidade da arte clássica. Monet também trouxe elementos da indústria em suas paisagens, tornando-a mais contemporânea.

Vida Pessoal de Monet

A vida pessoal de Monet foi marcada por dificuldades nesta época. Sua esposa ficou doente durante sua segunda gravidez (seu segundo filho, Michel, nasceu em 1878). O artista pintou um retrato dela em seu leito de morte. Antes de seu falecimento, ele e seus filhos foram viver com a família de Ernest e Alice Hoschede.

Após a morte de sua esposa Camille, Monet pintou um conjunto sombrio de pinturas. Ele começou a conviver cada vez mais com Alice, e os dois finalmente se envolveram romanticamente. Ernest passava grande parte de seu tempo em Paris, e ele e Alice nunca se divorciaram. Monet e Alice se mudaram com seus respectivos filhos em 1883 para Giverny, um lugar que serviu como uma fonte de grande inspiração para o artista. Após a morte de Ernest, em 1892, Monet e Alice se casaram.

Em 1911, Monet ficou deprimido depois da morte de sua amada Alice. Em 1912, ele desenvolveu uma catarata em seu olho direito. No mundo da arte, Monet estava fora de sintonia com os novos artistas. Os impressionistas foram, de certa forma, sendo substituídos pelo movimento cubista, liderado por Pablo Picasso e Georges Braque.

Inspirações de Monet

O artista teve muito sucesso financeiro e crítico durante o final dos anos 1880 e 1890, e começou as pinturas pelos quais ele se tornaria conhecido. Em Giverny, ele gostava de pintar ao ar livre nos jardins que ajudou a criar. Os lírios encontrados na lagoa tinham um apelo especial para o artista, e foram representados em diversas obras pelo artista.

Às vezes, Monet viajava para encontrar outras fontes de inspiração. No início dos anos 1890, ele alugou um quarto em frente à Catedral de Rouen, no noroeste da França, e pintou uma série de trabalhos que representavam o local. Diferentes pinturas mostraram o edifício na luz da manhã, ao meio-dia, com o tempo cinzento. Esta repetição era um resultado do profundo fascínio de Monet pelos efeitos da luz.

Além da catedral, Monet pintou várias coisas repetidas vezes, tentando transmitir a sensação de certa hora do dia em uma paisagem ou um lugar. Ele também se concentrou nas mudanças que a luz causa sobre as formas de palheiros e árvores de álamo em duas séries pintura diferente neste período. Em 1900, Monet viajou para Londres, onde o rio Tamisa chamou muito a sua atenção.

Fim da Vida de Monet

Como aconteceu em outros períodos de sua vida, Monet estava lutando com a depressão em seus últimos anos de vida. Ele escreveu a um amigo que sua vida era marcada pelo fracasso e que tudo o que restava era destruir suas pinturas antes de desaparecer. Apesar de seus sentimentos de desespero, ele continuou trabalhando em suas pinturas até seus últimos dias.

Monet morreu em 5 de Dezembro de 1926, em sua casa, em Giverny. Certa vez ele escreveu: “Meu único mérito está em ter pintado diretamente na frente da natureza, buscando tornar minhas impressões sobre os efeitos mais fugazes”. A maioria dos historiadores de arte acredita que Monet realizou muito mais do que isso: Ele ajudou a mudar o mundo da pintura por transformar as convenções do passado. Dissolvendo as formas em suas obras, Monet abriu a porta para uma maior abstração na arte, e ele é considerado como uma grande influência dos artistas que vieram depois, como Jackson Pollack, Mark Rothko e Willem de Kooning.

Desde 1980, a casa de Monet em Giverny passou a abrigar a “Fundação Claude Monet”.

Monet é considerado por grande parte dos críticos como o pai do impressionismo. Grande gênio da pintura, seu nome é lembrado constantemente nas leituras relacionadas com pinturas relacionadas com o século XX. Na sua pintura chamada “Impressão, nascer do sol” praticamente nenhum dos críticos encontraram entendimento. Depois que Monet explicou o significado, todos ficaram impressionados – justamente por isto que o nome do movimento artístico é impressionismo.

Tido como um dos libertadores dos pincéis, conceito no qual pintores podem pintar o que realmente sentem sem muita preocupação com o realismo estético. Entretanto, a obra obrigatoriamente deve gerar uma impressão impressionante para os observadores para ser considerava valiosa no milionário mercado de quadros.

Apesar do extremo sucesso ainda agregado em Vida, Monet acabou morrendo devido a sua catarata. Amigos próximos dizem que com o óbito da sua esposa e o surgimento de problemas na vista fizeram com que o pintor caísse em uma profunda depressão.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Arte
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *