As Peças de Teatro Mais Famosas do Mundo Intelectual

O mundo é um local grande para definir quais são as peças mais famosas do mundo. Uma peça popular na China pode não ter o mesmo sucesso no mundo ocidental e ao mesmo tempo estar na liderança mundial se considerados os números de bilhetes comprados para assistir a peça. Por este motivo a lista não está organizada em posição de fama.

“Sonho de Uma Noite de Verão” – William Shakespeare

Essa lista não estaria completa sem pelo menos uma peça de Shakespeare. Claro, Hamlet é mais profundo, ao passo que Macbeth é intenso. No entanto, entre os especialistas a respectiva peça está considerada com alta importância. Alguém pode pensar que as palavras de Shakespeare são desafiadoras para recém-chegado teatral. No entanto, este jogo de fantasia com temas de fadas e amantes transmite enredo divertido e fácil de entender. Os cenários e figurinos tendem a ser imaginativos nas produções do bardo.

Sonho de Uma Noite de Verão

Sonho de Uma Noite de Verão

“The Miracle Worker” – William Gibson

Outros dramaturgos podem ter criado material com maior estímulo intelectual do que o jogo biográfico William Gibson. No entanto, poucas peças contêm tal intensidade, crua e sincera, transferida em âmbito popular.

Com o elenco certo, os dois papéis principais geram desempenhos inspiradores, como quando a menina luta para permanecer na escuridão silenciosa e um professor amoroso mostra a ela o significado da linguagem e do amor. Como um testamento ao poder verdadeiro da peça, The Miracle Worker é realizada em todos os verões em Ivy Green, o local de nascimento de Hellen Keller.

“Morte de um Caixeiro Viajante” – Arthur Miller

Para alguns, este jogo é um pouco exagerado e desajeitado. Alguns críticos apontam que as mensagens entregues no ato final da peça foram óbvias demais. Ainda assim, a peça de Arthur Miller representa complemento vital para o teatro americano, digno de ver apenas o desempenho gratificante do ator na história do palco: Willy Loman.

Como protagonista condenado à peça, Loman é patético, mas cativante. Como audiência não se pode olhar para longe a alma, lutando de forma desesperada. E não podemos deixar de imaginar como ele é semelhante a nós mesmos.

Imagem de Amostra do You Tube

“A Importância de Ser Earnest” – Oscar Wilde

Um contraste com o peso do drama moderno, este jogo genial de Oscar Wilde vem encantando o público há séculos. Dramaturgos como George Bernard Shaw sentiram que o trabalho de Wilde exibiu gênio literário, mas não tinha valor social. No entanto, levando em conta a sátira valores, “A Importância de Ser Earnest” consiste na farsa deliciosa que ridiculariza a sociedade vitoriana da Inglaterra e toda a classe alta.

 ”Antígona” – Sófocles

Sim, quem aprecia a arte do teatro deve assistir pelo menos uma tragédia grega antes de morrer. Antígona, por outro lado, tem relação com as próprias escolhas e consequências e não tanto sobre a ira de poderes mitológicos. Além disso, ao contrário de muitas peças gregas, a figura central é uma mulher poderosa e desafiadora.

Cronologicamente representa a terceira dos três jogos de Tebas, mas foi escrito em primeiro lugar. Creonte, o novo governante da região depois da guerra civil, decidiu que Etéocles seria honrado e Polinices encaminhado para vergonha pública. O corpo do irmão rebelde não será santificado por ritos sagrados e jaz em insepultos no campo de batalha presa para o consumo de animais de carniça com vermes e abutres, a dura punição na época.

Na abertura da peça, a Antígona traz a irmã Ismênia para fora dos portões do palácio, tarde da noite, para uma reunião secreta. Ele quer enterrar o corpo de Polinices, desafiando o decreto de Creonte.

Antígona

Antígona

Ismênia se recusa a ajudar, temendo a pena de morte, fazendo com que Antígona a deserdasse. Creonte entra, juntamente com o Coro dos Anciãos de Tebas. Ele busca o seu apoio nos dias por vir e em particular os quer para fazer o edital sobre a eliminação do corpo de Polinices.

Hemon, filho de Creonte, jura lealdade a seu pai, mesmo sendo noivo de Antígona. Inicialmente. Ele parece disposto a abandonar a noiva. Creonte decide poupar Ismênia. Antígona é enterrada viva em uma caverna. Levada para fora da casa ela lamenta a sorte e defende as ações. Levada ao túmulo vivo com o Coro expressando grande tristeza para o que vai acontecer com ela.

Tirésias, o profeta cego, entra. Ele adverte Creonte que Polinices deve agora ser urgentemente enterrado porque os deuses estão descontentes, recusando-se a aceitar quaisquer sacrifícios ou orações de Tebas. Creonte acusa Tirésias de ser corrupto.

O Coro, apavorado, pede a Creonte para tomar o seu conselho. Ele consente, e diz que deveria libertar Antígona e sepultar Polinices. Creonte, abalado, concorda. O Coro oferece uma ode coral ao deus Dionísio (deus do vinho e do teatro) e depois um mensageiro entra para dizer que Hemon se matou.

“Fences” – August Wilson

A obra explora a experiência africano-americana com foco em uma década diferente, desde o virar do século, a década de 1990. Revela os conflitos entre um pai trabalhador teimoso e seu filho talentoso ainda rebelde. Ao assistir cinco minutos irá abrir o apetite da atenção à plateia para o resto do ciclo de August Wilson.

“The Good Doctor” Neil Simon

Considerando todas as peças filosóficas profundas esta pode ser uma escolha que lidera o ranking da lista intelectual. Afinal, este é Neil Simon, um dos maiores contadores de histórias da Rússia e dramaturgos do mundo. A peça pode ser considerada como cartilha deliciosa para trabalhos mais sofisticados de Chekhov. Simon entrelaça mais de uma dúzia de contos.

Se você gostar de The Good Doctor, então também pode desfrutar de peças complexas e agridoces de Tchekhov: O Jardim das Cerejeiras e A gaivota.

Imagem de Amostra do You Tube

Waiting for Godot: Samuel Beckett

Elogiada por críticos e estudiosos, a tragicomédia pode deixar plateia coçando a cabeça em confusão. Mas isso é exatamente o ponto! Algumas peças são destinadas em serem desconcertantes. Este conto sem sentido é algo que cada frequentador de teatro deve experimentar pelo menos uma vez.

Não há praticamente nenhuma trama (com a exceção de dois homens esperando por uma pessoa que nunca chega). O diálogo é vago. Os personagens são pouco desenvolvidos. No entanto, um diretor talentoso pode levar este show escasso e encher o palco com bobagens ou simbolismo de caos. A emoção representa principal matéria prima da obra.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>