O Jeitinho Brasileiro

O Povo Brasileiro

Sob esse tema gostaria de falar a respeito de como o dia a dia do povo brasileiro é permeado por essa influência até certo ponto cultural, por esse modo de procurar uma forma rápida de resolver algum problema sem “dar bandeira” – sem chamar muito a atenção. Quanto se trata de “dar um jeitinho”, não há como o brasileiro em termos de versatilidade. O brasileiro, a despeito de tudo o que passa – e quem sabe, por causa de tudo que passa – desenvolveu certa habilidade de solucionar de forma rápida os seus problemas (ainda que muitas vezes tenha de ser por baixo dos panos).

O Jeitinho Brasileiro

O Jeitinho Brasileiro

Contudo, nem sempre o “jeitinho” está ligado ao suborno ou mudança ilegal de algo, pois nem todo jeitinho é negativo. No Brasil podemos observar todos os dias como somos um povo versátil em solucionar problemas, seja para si, seja para o próximo. Claro que quando alguém nos “quebra um galho”, dando um “jeitinho” de resolver nosso problema, nos encontramos em uma situação de “dívida de favor”, como poderíamos chamar. Estamos “devendo” um favor, uma ajuda a alguém.

Principalmente em repartições públicas, onde a burocracia ainda é muito grande, sempre é possível encontrar uma alma caridosa, disposta a ajudar. Quase sempre é possível driblar as formalidades e a rotina normal, e, com jeitinho, ajudar ou ser ajudado. Infelizmente, porém, há quem cobre por esse jeitinho. A isso chamamos de “corrupção”. Portanto, o “jeitinho” pode ser bom ou ruim. Ele é “bom” quando o bem-estar de outro está em questão, de forma a não prejudicar um terceiro. Ele é “mau” quando o sujeito tenta resolver sua situação através da quebra de alguma lei ou regulamento em defesa de seus próprios interesses.

Por Carlos Alberto Bächtold

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>