O Que Foi o Tropicalismo?

O Tropicalismo, Tropicália ou Movimento Tropicalista foi um movimento ocorrido na cultura brasileira na década de 60, surgindo no ano de 1967 – em plena ditadura militar brasileira – que foi originado graças à influencia da cultura pop nacional e internacional (concretismo) e de correntes artísticas tendencialmente de vanguarda.

O Contexto Histórico da Música Brasileira

Quando chegou a década de 60, o Brasil vinha em forte desenvolvimento industrial, inclusive da produção cultural e os próprios meios de comunicação da época, como por exemplo, o rádio e a televisão, vinham em pleno crescimento e desenvolvimento.

Na área musical, esse desenvolvimento foi responsável pela expansão e popularização de gêneros tipicamente nacionais, como por exemplo, o forró e o samba. Contudo, esse mesmo desenvolvimento permitiu que gêneros musicais internacionais ingressassem em nossas fronteiras, como por exemplo: rock, jazz e a rumba.

Essa mistura de sons, de origem nacional e estrangeira, acabou abrindo uma discussão sobre a questão do nosso país incorporar a música e os padrões internacionais, pois acabava sendo uma ameaça ao nosso desenvolvimento e identidade cultural.

Esse grupo nacionalista defendia que os ritmos populares nacionais eram uma forma de conscientizar o povo da nossa cultura e dos problemas do nosso dia-a-dia, lembrando que na década de 60 iniciou-se um período de ditadura militar em nosso país, que acabou criando um clima social revolucionário, onde muitas pessoas lutavam contra a presença dos militares no poder, e estes acabaram reprimindo, muitas vezes com violência os movimentos que eram contra o governo militar.

Com essa perspectiva da cultura nacional, surgiu um gênero musical que abrigava a identidade cultural brasileira. A MPB – Música Popular Brasileira buscava defender a cultura musical brasileira.

Contudo, no fim da década de 60, um grupo de artistas (Gilberto Gil, Tom Zé, Gal Costa, Caetano Veloso, Os Mutantes e outros), inspirados pela antropofagia de Oswald de Andrade, tinha a ideia que a cultura musical não podia ficar presa nesse conflito entre o estrangeiro e o brasileiro, com isso surge o Tropicalismo.

O Que Era o Tropicalismo?

O Tropicalismo foi um movimento cultural de contestação e de vanguarda, que combinou as manifestações culturais de nosso país com as inovações culturais vindas do exterior.

Esse movimento cultural encontrou abertura na sociedade que estava vivendo sob a ditadura militar. O Tropicalismo se manifestou por meio da arte, principalmente através da música, das artes plásticas, do cinema e do teatro.

O Tropicalismo representava a fusão de diversas tendências culturais, pois fazia uma mistura das mais diversas e variadas tendências culturais, desde cultura popular de nosso país às inovações distantes na estética cultural.

O Tropicalismo tinha como objetivo realizar a absorção das convenções, realizando uma desobediência das regras que estavam vigorando, tanto no aspecto cultural, como no comportamental e nos aspectos sociais e políticos.

No entanto, as pessoas que criticavam o Tropicalismo viam o movimento como um grupo cultural que não tinha nenhum tipo de engajamento na área política. Os tropicalistas se consideravam como revolucionários na estética da produção musical, e este era o intuito e a forma que eles tinham para se rebelar contra o padrão político que vigorava.

Foram integrantes ativos desta corrente e movimento cultural os seguintes artistas: Caetano Veloso (cantor), Torquato Neto (cantor e poeta), Gilberto Gil (cantor), Os Mutantes (grupo musical), Tom Zé (cantor), Rogério Duprat (arranjador e maestro), Nara Leão (cantora), Maria Bethânia (cantora), Gal Costa (cantora), Hélio Oiticica (artista plástico), Glauber Rocha (cineasta), José Celso Martinez Corrêa (teatro) e outros mais.

Um dos grandes exemplos de obra artística do Tropicalismo foi uma canção de Caetano Veloso, chamada de Tropicália.

A Proposta do Tropicalismo

O Tropicalismo não se tratava de um novo gênero musical que estava surgindo em nosso país, mas sim, de uma forma diferente e renovada de participar dentro da cultura nacional, com ares de mudança, crítica e transformação.

O Tropicalismo não era contra a Bossa Nova (o estilo musical predominante na época), no entanto era contra a forma entediante que havia se instalado no meio musical que era dominado pela Música Popular Brasileira. Com essa situação, diversos artistas perceberam a importância de mudar esse contexto, fazendo uma mistura de estilos.

O movimento tropicalista trouxe uma proposta de um diálogo entre as diversas influências culturais que eram conhecidas e estavam à disposição dos brasileiros naquele período.

O movimento tropicalista tinha aproximação com todos: samba, rock, bossa nova, músicas românticas e etc. Os tropicalistas apareceram para o Brasil, quando Caetano Veloso, Gilberto Gil e o grupo Os Mutantes se apresentaram em um festival de música organizado pela Rede Globo de Televisão, cantando a música: ‘é proibido proibir’, bastante questionadora para a época ditatorial que vivíamos no Brasil naqueles anos.

Em um primeiro momento, a recepção para aquela música desprendida foi um pouco dura. Os artistas chegaram a receber vaias e foram acusados de estarem retratando modelos musicais importados do exterior.

No entanto, os artistas membros do Tropicalismo afirmaram que a reprovação vinha de pessoas contrarias à renovação que estava desligada do nacionalismo radical e da esquerda política.

Nessa apresentação, era possível entender que os artistas membros do tropicalismo tinham o desejo de revolucionar a música brasileira de forma rápida e tirando dos conceitos que a musicalidade estava presa.

Contudo, o Brasil passava por um momento crítico de sua história, e a ditadura militar proibiu que os artistas do movimento tropicalista continuassem propagando as suas ideias.

Os artistas foram censurados, graças ao ato institucional no. 5, o famoso AI-5, e eles acabaram precisando sair do nosso país e pedirem exílio no exterior, para fugir da ação repressora das pessoas que integravam e apoiavam o regime de ditadura militar. A atitude do exílio no exterior foi a única forma encontrada para que pudessem continuar realizando as suas composições musicais e dessem sequencias as suas carreiras artísticas.

O exílio dos principais integrantes do tropicalismo pode aparentar uma derrota do movimento, no entanto a proposta feita pelo tropicalismo de abertura aos diversos estilos musicais e a comunicação entre a música nacional e a internacional acabou marcando a nossa cultura musical. Os próprios artistas que não eram integrantes do tropicalismo viram nas ações do movimento uma maneira de renovar a cultura brasileira.

Considerações Finais

O movimento tropicalista teve grande importância para a cultura musical brasileira, pois conseguiu modernizar a nossa música, agregando e criando novos padrões estéticos de musicalidade.

Por isso, o Tropicalismo, mesmo com todas as críticas que sofreu, se tornou um movimento cultural inovador, pois acabou gerando influência nas gerações musicais que surgiram no Brasil nos anos seguintes.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *