A Lua e os Deuses na Mitologia

Segundo corpo celeste mais influente na vida humana a Lua inspirou muitos mitos, contos e lendas e personificava ou simbolizava vários deuses antigos.

Mawu

Mawu é uma deusa suprema do povo Fon da República do Benim. Esta deusa da lua traz as temperaturas mais frias ao continente africano e é vista como uma velha matriarca que vive no ocidente. Mawu tem como companheiro o deus Liza, juntos criaram o mundo. Ela simboliza a noite, a alegria e a maternidade.

Coyolxauhqui

Deusa da lua segundo a mitologia asteca e seu nome significa “sinos dourados”. Era filha da deusa da terra Coatlicue e irmã do deus sol Huitzilopochtli.

Foi Coyolxauhqui quem encorajou seus irmãos e irmãs a tentar matar sua mão pela desonra de dar a luz a Huitzilopochtli que havia sido gerado quando penas caíram sobre ela quando esta dormia no templo. O deus Sol não só protegeu sua mãe como decapitou Coyolxauhqui, lançando sua cabeça nos céus para formar a Lua.

Soma

Na mitologia Hindu, Soma representa o deus da Lua. Ele atravessa os céus em uma carruagem puxada por cavalos brancos. Soma também é o nome do elixir da imortalidade que só os deuses podem beber. Nesta mitologia a Lua é o reservatório de tal elixir e ela diminui em algumas de suas fases pois os deuses estão a bebê-la. Alguns mitos dizem que a Lua é habitada por uma lebre e portanto as lebres são vistas como encarnações de Soma.

Ártemis e Diana

Ártemis é uma deusa grega irmã gêmea de Apolo, filha de Zeus e Latona. Simbolizava a lua e a caça além de outros aspectos. Diana era uma deusa romana das regiões selvagens que se identificava com a Ártemis grega. Ambas eram donzelas com qualidades guerreiras que portavam o arco e tinham identificação com a Lua.

Tsuki-Yomi

Tsuki-Yomi era o deus da Lua no xintoísmo japonês, nascido do olho direito de Izanagi. Vivia nos céus com sua irmã, a deusa sol Amaterasu.

Uma vez Amaterasu enviou seu irmão como representante à deusa da comida, Uke Mochi. Para celebrar a deusa da comida ofereceu a ele um maravilhoso banquete, criado de sua boca e nariz. Tsuki-Yomi se enojou tanto que matou a anfitriã. Quando Amaterasu descobriu o crime do irmão, ficou tão furiosa que nunca mais quis vê-lo. Desde então irmão e irmã vivem alternando nos céus, explicando assim o ciclo de dia e noite.

Heng-o e as Doze Luas Chinesas

Nos tempos antigos, os chineses acreditavam que havia doze luas, assim como havia doze meses no ano, da mesma forma como acreditavam nos dez sóis, um para cada dia da semana chinesa. A mãe das doze luas era a mesma dos dez sóis.

No começo de cada mês, sua mãe, Heng-o, lavava suas filhas em um lago no extremo ocidente do mundo. Então cada Lua, uma após a outra, atravessaria os céus em uma carruagem em uma jornada de um mês para alcançar o outro lado do mundo. Dizia-se que as Luas eram feitas de água e tinham em seu interior ou um sapo ou uma lebre.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Divindades
1.538

Função: Programação e SEO
Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG)
Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *