As Constelações na Mitologia Grega – Parte V

Muitos foram os mitos gregos para a origem das constelações, elas estavam intimamente ligadas aos seus deuses. Frequentemente os deuses lançavam às estrelas heróis, criaturas e representações de feitos,  para imortaliza-los. Algumas das constelações que conhecemos hoje têm seu nome ligado às suas origens mitológicas gregas:

Andrômeda

Andrômeda é uma constelação em forma de V que é mais facilmente vista do hemisfério norte durante o outono.  Fica próxima ao polo norte, então somente parte do hemisfério sul consegue avista-la. Fica próxima à constelação de Pégaso e compartilha uma estrela, Alpheratz, com a mesma, o que leva a crer que um dia essas estrelas eram apenas parte da constelação de Pégaso.

Ao lado direito da constelação pode ser vista a grande galáxia de Andrômeda, o objeto celeste mais distante visível a olho nu. Na mitologia grega, Andrômeda era filha de Cassiopéia e Cefeu, rei da Etiópia. A mãe de Andrômeda clamava ser mais bela do que as ninfas do mar, as nereidas. Estas sentiram-se insultadas por isto e reclamaram a seu pai Poseidon. O rei dos mares ameaçou o reino da Etiópia com uma enchente e um monstro marinho.

O rei foi avisado por seu oráculo a sacrificar sua filha Andrômeda, acorrentada a um rochedo para ser devorada pelo monstro. Perseu, sobrinho do rei de Argos encontrou-a acorrentada enquanto navegava e imediatamente apaixonou-se por ela. Ele prometeu resgata-la se seus pais permitissem que se casassem. Cassiopéia e Cefeu aceitaram e Perseu matou a fera libertando Andrômeda.

Porém seus pais recusaram-se a cumprir a promessa e Andrômeda então partiu com Perseu sendo recompensada pela sua lealdade pela deusa Atena, que colocou sua imagem nas estrelas.

Cassiopéia

Presente na mesma lenda, a rainha Cassiopéia foi colocada entre as estrelas pelo deus Poseidon.  No entanto foi colocada de ponta cabeça para puni-la por sua pretensão, pois era muito orgulhosa de sua beleza, ousando compara-la a de deuses. Todas as figuras presentes neste mito formam constelações.

A constelação de Cassiopéia tem uma forma muito peculiar. Aparece como um “W” ou “M” no céu, dependendo de onde está. De acordo com a lenda, ela está acorrentada e por vezes pende de cabeça para baixo para lembrar aos mortais de não ser tão orgulhosos. Cassiopéia é uma constelação circumpolar do norte, então pode ser vista durante todo o ano.

Nela há vários aglomerados ou grupos de estrelas. M52 é um aglomerado bem grande na ponta ocidental. Com a ajuda de um telescópio, podem-se ver vários corpos celestes nesta constelação. Há algumas nebulosas, incluindo a Nebulosa Bolha e IC 1805., que fica localizada ao leste da constelação. Por fim, também é possível se avistar galáxias, incluindo NGC 185, que fica a pouca distância a sul do “W”.

Cefeu ou Cepheus

Essa constelação representa Cefeu rei da região da Etiópia e que ofereceu sua filha Andrómeda em sacrifício para aplacar a ira de Nereu que era o deus marinho pai das Nereidas.

Órion

A mitologia que envolve a constelação de Órion não pode ser citada sem falar sobre a constelação do escorpião. O belo gigante Órion era um exímio caçador que nunca teve muita sorte no amor. Sua primeira esposa Side foi castigada pela deusa das deusas Hera pelo orgulho de sua beleza. Depois Órion se apaixonou por Mérope que era princesa da Ilha de Quios, mas acabou cegado pelo pai da jovem.

Após recuperar a visão com a ajuda da deusa Aurora conheceu Ártemis que era a deusa da caça. Logo os dois se tornaram grandes amigos devido ao interesse em comum pela caça. Embora Ártemis gostasse muito da companhia de Órion não lhe tinha sentimentos de desejo por ser casta. Em algumas passagens mitológicas consta que Órion teria tentado violentar Ártemis que para se vingar criou um grande escorpião que desafiou o gigante vencendo o mesmo a ferroadas.

Zeus se sentiu comovido pela bravura do gigante levando-o para o céu, mas também reconheceu o quão incrível era aquele escorpião e também o transformou em constelação. Seria pela rivalidade que as constelações do Escorpião e de Órion são opostas no céu. Quando Órion está nascendo o Escorpião está se pondo e vice-versa.

Virgem

A constelação de Virgem é a única que possui forma de mulher entre as constelações que compõem o zodíaco. A virgem que dá nome a constelação seria Erígone, filha de Icarius que recebeu de Dionísio a revelação de como fazer vinho. Os homens para quem Icarius ofereceu a bebida acreditaram ter sido envenenados quando sentiram os efeitos do vinho e como retaliação o assassinaram.

O homem possuía um cão fiel chamado Maera que foi avisar a Erígone o que havia acontecido com seu pai. A jovem ficou desolada e acabou tirando a sua própria vida por meio de enforcamento. Para os deuses tamanha tragédia precisava ser remediada e então levaram esses personagens para o céu na forma de constelações: Virgem (Erígone), Cão Menor (Maera) e Bootes (Icarius).

Ursa Maior e Ursa Menor

A jovem e bela Calisto despertou a paixão de Zeus e também a ira de Hera que tinha muito ciúme de seu marido. Um dia Hera transformou Calisto num urso mudando a sua condição de caçadora para caça. Algum tempo depois o filho da jovem transformada em urso, Arcas, estava caçando na região em que sua mãe estava, mas não sabia de sua condição.

Calisto emocionada não pode se conter e se aproximou do filho para lhe dar um abraço, no entanto, Arcas assustado estava pronto para matar o urso que se aproximava e que não sabia ser sua mãe. Zeus interferiu antes da tragédia e então levou mãe e filho para o céu na forma de constelação – Ursa Maior (Calisto) e Ursa Menor (Arcas).

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Divindades
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *