Paul Feyerabend

A denominação epistemologia faz referência ao estudo sobre como se produz o conhecimento. No entanto, quando se menciona a epistemologia ligada as ciências, se aborda aqueles pensadores preocupados em investigar como se ergue um conhecimento de matriz científica. E dentre eles, destacamos Paul Feyerabend.

Paul Feyerabend

Paul Feyerabend nasceu em 1924, na cidade de Viena, vivendo na Europa e nos Estados Unidos. Na década de 40 prestou serviço ao exército alemão, acabando ferido, e tal fato o obrigou ao uso constante de muletas.

Depois da guerra do Vietnã cursou a faculdade de Física, sob a orientação de Popper em Londres, na Escola de Economia. Sua publicação principal recebeu o título de “Contra o Método”, e seus conceitos principais são o pluralismo metodológico, o anarquismo epistemológico, contraindução, contrarregra, e o tudo-vale.

Logo abaixo você poderá observar as principais características de Paul, especialmente seu modo de pensar demonstrado em suas obras:

-Paul teve a orientação de Popper, mas numa parte significativa de sua obra o critica, tendo-o como um racionalista.

-Suas obras principais obras nas quais apresenta tais considerações são “Contra o Método” e “Matando o Tempo”.

-Conforme seu modo de pensar, não há um método universal científico. Ele critica de maneira aberta o método científico.

-De acordo com seu conhecimento, a ciência é  vista como uma corporação anárquica.

-Recusa a existência de preceitos universais, e defende a quebra das regras metodológicas.

-Verdadeiramente afirma que o adiantamento da ciência acontece quando se viola as regras impostas pela metodologia.

-Opõe-se a um único princípio científico, total, a uma inevitável ordem, então, à unicidade.

-A confusão epistemológica, ficou assim estabelecida, devendo ser compreendida como uma defesa de um epistemológico pluralismo, ou seja, contra uma forma única de se conceber a ciência.

-Protege a teoria de “tudo-vale”, um pluralismo radical metodológico.

-De acordo com o pensamento de Feyerabend, a regra única é a quebra das regras.

-Foi tido como o principal inimigo da ciência, porém, muitas instituições da época queriam tê-lo em seu corpo docente.

-Seu entendimento assegura que não há teoria interessante que possa se firmar com os fatos todos.

-Apontou que é desigual o progresso científico.

-Não há um apanhado de regras que conduza ao progresso da ciência.

-Sua ideia de tudo-vale não pode ser observada como um início destrutivo da ciência, porém como um começo, ou princípio superior sob um inferior, que pode se chamar “nem tudo vale”.

-Paul defenfia de forma aberta a contrarregra, e se a regra induz a algo, então precisa-se usar a contraindução, incidindo na aceitação de presunções  alternativas.

-É necessário que se introduza hipóteses, ainda que as mesmas não se acomodem aos fatos tidos como consolidados.

-Opões de forma fervorosa às regras: só aceita considerações que se acomodem às teorias aprovadas; deixar de lado as proposições que não se acordem aos fatos estabelecidos.

-Conforme a forma de pensar de Feyerabend, as teorias todas por natureza são falíveis.

Ele sugere as contrarregras seguintes:

– colocar proposições que fiquem em conflito com as observações;

– introduzir suposições que não estejam ajustadas às teorias constituídas.

Institui uma contradição de Popper: se não é suficiente uma experimentação para aprovar uma teoria, como o pode para descartá-la?

Há sempre discordâncias entre teorias, de natureza qualitativa ou numérica.

As teorias devem ser enxergadas como aproximações, e jamais como definições. Não se chega à verdade, porem somente podemos nos aproximar dela.

O termo incomensurabilidade, segundo Kuhn, quer dizer um antagonismo entre teorias, no caso de Feyerabend quer dizer somente uma diferente linguagem.

Já o termo progresso trata-se somente de uma concorrência entre teorias, sendo assim, uma multiplicidade teórica.

Conforme a fundamental abordagem de Feyerabend, a ciência é uma forma de trazer sentido a uma desconhecida unidade que é o universo. Ele propôs um democrático controle da ciência, no qual todas as pessoas deveriam dar sua opinião a respeito dela, de maneira a ditarem os possíveis rumos investigativos.

Maiores Informações

Paul Feyerabend é a representação da forma radical de pensar os fundamentos científicos. Ele afirma que a ciência é um conceito anárquico metodologicamente e que é somente um dos possíveis modos de vida. Isto em razão de haver inúmeros fatores que motivam o desenvolvimento da ciência, a começar pela metafísica passando pela economia e política.

De acordo com Paul Feyerabend, a ciência, da mesma forma que a religião, foi estabelecida pela cultura do Ocidente de maneira unilateral. Entretanto, ainda que a religião não esteja mais ligada ao Estado e possa ser de escolha livre, a ciência não pode ainda se desligar (seria melhor mencionar que o Estado ainda não conseguiu se separar da ciência).

Por exemplo, é só imaginar, quantos projetos há que são viáveis teoricamente, a partir do modo de visão científico, como carros a hidrogênio, a água, dentre outros, e que acabam engavetados ou não são realizados por causa de interesses de determinados grupos econômicos (como a indústria petrolífera, por exemplo) que são responsáveis por financiar políticos para trabalharem a favor de seus interesses.

Para Paul, a opção pela ciência é subjetiva, estética, isto é, está sujeita a uma aceitação que por hora só tem adesão em massa por acabar sendo imposta como um superior modo de vida. Enquanto conhecimento, a ciência, não poderia separar-se da não ciência ou  da poesia, da metafísica, do mito, e muito mais, até porque, para Paul Feyerabend, não existe uma universalidade metodológica, o que emana de um pluralismo teórico, onde os tipos de pensamentos e de vida possam conviver democraticamente.

Paul vê uma necessária e importante interação no justificacionismo entre o conjunto de justificação e o conjunto de descoberta, pois, separados são danosos à ciência. É uma forma de fazer a identificação do conhecimento baseado na experiência, não a partir de imposições (como entendia Popper) nem apenas de definições (como pensava Kuhn). Portanto, visa, por em debate e votação as hipóteses como se faz numa sociedade democrática, pois ciência e mito possuem as mesmas características, assim, evidenciando, que sua divisão é algo totalmente artificial.

Como pudemos observar, Paul entendia que não deveria haver regras para se entender a ciência, e que a mesma não poderia se dividir de outras formas de conhecimento.

O filosofo Paul Karl Feyerabend mais conhecido por Paul Feyerabend nasceu no dia treze do mês de janeiro do ano de 1924 em Viena e faleceu no dia onze do mês de fevereiro do ano de 1994 em Genolier. Morou em vários Países entre eles Reino Unido, Suíça, Itália, Estados Unidos e Nova Zelândia. Estudou muito e com isso adquiriu um grande conhecimento se tornando um profissional de renome. Karl Popper que ele conheceu no seminário internacional de verão que aconteceu na Austrian College Society em Alpbach teve grande influencia em seus trabalhos.

Entre seus trabalhos podemos citar como os mais importantes: Against Method pulicado no ano de 1975, Science in a Free Society publicado no ano de 1978, Farewell to Reason que foi uma coleção de artigos que ele publicou no ano de 1987. Era considerado uma importante figura na filosofia da ciência e na sociologia do conhecimento científico. Sua fama se deu devido sua visão anarquista da ciência e também por sua rejeição a existência de regras metodológicas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Filosofia
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *