A Utilização da Informática na Educação

Antes de falarmos sobre a utilização da informática na educação, vamos abordar somente a informática, defini-la de uma forma mais ampla e que “desvendar” os seus mistérios.

Toda vez que falamos em Informática estamos fazendo referência a algo mais complexo do que possa parecer. Informática não é uma única coisa, mas um conjunto de Ciências, as quais estão associadas a três funções. São elas: a de transmissão, de armazenamento e de processo de informações, todas atuantes nos meios digitais.

Na prática, neste grupo, estão incluídas as seguintes funções: a análise numérica, a ciência da computação, o processo de cálculo e a teoria da informação. Além de métodos teóricos que também fazem parte da Informática estendo, dessa forma, a uma Ciência, que tem como objetivo realizar estudos de conhecimentos e informações ligadas aos meios digitais.

A definição de Informática sofre uma ligeira alteração quando falamos do que está descrito nos dicionários. No caso do dicionário brasileiro, por exemplo, a definimos como o “processo de tratamento da informação, que passa pelas máquinas eletrônicas cujo nome é computador”, enquanto em Portugal, se resume a “Ciência da Computação”. Porém, não importa, estamos falando do mesmo ramo e das mesmas finalidades.

A Informática: Os Primeiros Passos

Recentemente, os cinemas do mundo inteiro contaram, através do filme, “Jogo da Imitação” (tradução em português), a história de Alan Turing. Um dos nomes que deu início ao estudo da informação partindo da matemática. Além do britânico, outro nome importante nesse processo são os de: Alonzo Church e Kurt Godel.

Os três deram início a estudos para detectar que tipologia de problemas poderiam ser computados ou resolvidos por humanos, mas que para tal, seguissem instruções de baixa simplicidade, descartando o quanto tempo seria necessário.

Esse estudo desenvolvido pelos três nomes citados tinha como maior objetivo a avançar com a revolução industrial. Eles queriam que as máquinas pudessem resolver em um curto prazo, aquilo que os homens precisam de tempo.

Para isso, Alan Turing, Alonzo Church e Kurt Godel usaram os algoritmos, que era a linguagem, através da qual, a máquina entenderia os comandos e seria capaz de realizar as tarefas.

Vamos Falar Da Informática Na Educação

Felizmente, todo o processo que começou com estudos matemáticos, algoritmos, intenção de dar as máquinas a tarefa de resolver os problemas em menos tempo foi evoluindo ao longo do tempo. Uma evolução que podemos considerar rápida e se pensarmos nos dias atuais, rapidíssima. É incrível reparar como as tecnologias avançam com tamanha rapidez, que o novo em pouco tempo fica velho.

Com todo o avanço que a Informática alcançou nos últimos anos, vem-se discutindo como usá-la para melhorar a educação. Isso mesmo, a utilização da informática na educação, que não deve ser vista como uma vilã, como alguns insistem em dizer, mas como uma ferramenta que pode agregar e evoluir ainda mais o processo de ensino.

Porém, para que a Informática colabore na educação é necessário que seja usada da forma correta, que seja bem direcionada.

Como Recursos De Informática Podem Ser Aplicados Na Educação

Algumas escolas no Brasil possuem um laboratório de Informática com acesso não somente à Internet, que sem dúvidas é uma ótima ferramenta, mas também a softwares que foram desenvolvidos para educação. Além disso, nessas escolas, os alunos têm acesso a importantes mecanismos da Informática, principalmente para fase de trabalho, que são os chamados programas básicos: de edição de imagens, editores de texto, planilhas de cálculo, para apresentações, entre outros.

Porém, que fique claro que ter esses recursos disponíveis e não saber como utilizá-los não funciona no âmbito da educação. Essa questão é levantada pelos próprios profissionais da educação, da necessidade da utilização da Informática na educação de forma correta e proveitosa.

Pontos Importantes Para Saber Utilizar A Informática Na Educação

Para começar é importante destacar que o computador não passa de uma ferramenta. O que quer dizer que uma não fará nada sozinho. Até porque estamos falando de uma ferramenta que não é pensada para avançar a educação como primeira coisa. Para que essa ferramenta seja de fato aproveitada na educação, os seus “condutores”, os professores, deverão estar preparados para fazer uso. É necessário professores capacitados, treinados e que tenham amplo conhecimento do sistema tecnológico. Quando o profissional da educação não conhece a ferramenta, ele terá poucas chances de aproveitá-la.

Um grande erro é simplesmente colocar um software qualquer para que os alunos usem e isso não é a maneira de alcançar o objetivo. A Informática como ferramenta de ensino deve ser pensada, organizada, deve existir um projeto pedagógico claro para sua utilização.

Um aluno de frente para o computador deve ir muito mais além do que ser um digitador, a educação só acontece se ele for estimulado a pensar, a criar novos conhecimentos através da Informática. Neste caso, entra o papel fundamental do professor, que é aquele de conduzir o aluno até esse conhecimento, esse desenvolvimento.

Como Deve Ser O Uso Da Internet

Se o contato de um aluno com o computador na escola for aquele de fazer uma pesquisa na internet e ponto, certamente a Informática não fará a menor diferença na educação do mesmo. O uso da internet deve ser feito com orientação do professor, que não se resume a dizer “não faça cópias da internet”.

Os professores podem ensinar aos alunos como usar essa ferramenta de pesquisa que pode ser a internet para um trabalho escolar. A forma de se fazer isso é ensinando como se elabora uma pesquisa, a busca pelos sites confiáveis, como transformar em conhecimento os materiais recolhidos, etc.

Além disso, o educador deve “apresentar” o utilização da informática na educação como uma fonte para criar e não colocar o aluno como um ser passivo. Por exemplo, usando uma planilha de cálculos na aula de Matemática, adicionando dados de Estatística, ainda, gerando gráficos, tentando criar fórmulas.

No caso de um editor de texto, por exemplo, pode ser usado para estimular a criação de jornais, buscando colocar textos que falem de assunto da disciplina trabalhada. Já com programas de apresentação, estimular os alunos a explorá-los para uma apresentação mais completa e ilustrada de um trabalho escolar, usando sons e imagens.

O Computador Não Deve Ganhar O Papel Principal

Como último conselho de educadores experimentes na utilização da informática na educação, o computador não pode passar a se destacar na sala de aula. Se trata de uma ferramenta e quem deve assumir o papel principal são os alunos ao lado do professor.

A Informática

Há muito tempo que a informática vem sendo utilizada educacionalmente tanto os Estados Unidos quanto na França que são países do “primeiro mundo”, países desenvolvidos tanto tecnológica quanto educacionalmente, com uma qualidade de vida em muito superior a de nosso país. Desse modo, para eles a inserção do computador no processo educacional não deve ter tido grandes dificuldades, uma vez que já são possuidores de uma cultura voltada para o desenvolvimento do intelecto, do raciocínio.

Contudo, diferentemente deles, o Brasil tem uma qualidade de vida muito aquém da necessária, uma cultura que convive com o engano e a impunidade. Prova disto é a existência de leis e diretrizes que impedem que o sistema educacional “reprove” alunos de determinada faixa escolar, fazendo com que os mesmos avancem os graus do ensino sem, contudo, saber efetivamente o conteúdo correspondente a tais graus. Tudo isso para fins políticos e de censo, onde os números do “alfabetismo” são mais importantes do que a realidade do mesmo.

Ocorre que em nosso país os professores não estão, de modo geral, preparados para a inserção do computador no processo educacional, pelo simples fato de que a maior parte desses profissionais não teve oportunidade de se familiarizar com o computador, e porque sua carga horária não lhes permite tal coisa.

O sistema educacional está praticamente “queimando” alunos e professores, lançando-os em um contexto para o qual não estão preparados. Para que o computador seja inserido no processo educacional, é necessário que primeiramente os professores sejam preparados, sejam capacitados para usar o computador de forma adequada. É preciso que se familiarizem com os aplicativos específicos para cada área de ensino, e que se dediquem a fim de que possam colocar os alunos em contato com tais programas.

Por Carlos Alberto Bächtold – Foz do Iguaçu, PR.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Geral
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *