Gabriel Garcia Márquez: Escritor, Jornalista e Político

O nome Gabriel Garcia Márquez é uma referência e tanto no universo da literatura, porém, devemos ressaltar que ele, além de um grande escritor, também se destacou como jornalista e político colombiano. Sempre muito ativo, nasceu no dia 06 de março de 1927 em Aracataca, Colômbia.

Para quem deseja saber mais sobre a vida e a obra desse grande escritor, vale a pena ler em detalhes o artigo que preparamos. Um nome ainda muito influente em seu segmento e que está presente nas principais rodas de discussão de literatura.

Quem é Gabriel Garcia Márquez?

Gabriel Garcia Márquez é um dos principais nomes da literatura, jornalismo, ativismo e política colombiana. No ano de 1982, recebeu seu prêmio máximo, o Nobel de Literatura pelo conjunto de sua obra. Um dos principais destaques dessa obra é o livro Cem Anos de Solidão.

Um dos principais feitos de Garcia Márquez na literatura latino-americana foi a criação de um realismo mágico aplicado a ela. Durante a sua vida, viajou muito pela Europa, mas foi em Cuba que encontrou um lar.

Infelizmente, no ano de 2008 o escritor anunciou que não pretendia mais escrever livros. Essa notícia foi confirmada no ano de 2012 quando seu irmão Jaime Garcia Márquez anunciou que foi diagnosticada demência no escritor. Dessa forma, Garcia Márquez perdeu a memória e não poderá mais escrever.

A Vida de Gabriel Garcia Márquez

O escritor ganhou um apelido desde pequeno, Gablito, os seus pais, Gabriel Eligio García e  Luisa Santiaga Márquez, tiveram 11 filhos ao todo. No ano de 1929, dois anos após o nascimento de Gablito, seus pais se mudaram para Barranquilla, porém, o garoto foi morar com os seus avós Doña Tranquilina Iguarán e o coronel Nicolás Ricardo Márquez Mejía ainda em Aracataca.

Essa passagem é muito importante na vida de Garcia Márquez, pois as histórias do seu avô veterano da Guerra dos Mil Dias foi de grande influência na sua literatura. Os personagens de Cem Anos de Solidão saíram, em parte, das histórias do seu avô.

Gabriel foi estudar na cidade de Barranquilla, no Liceu Nacional de Zipaquirá. A sua juventude foi marcada pela forte presença de livros. No ano de 1947, ele foi estudar Direito e Ciências Políticas em Bogotá na Universidade Nacional da Colômbia, porém, abandonou os estudos antes que pudesse completa-los. No ano seguinte ao início dos estudos, 1948, Gabriel começou a trabalhar como jornalista em Cartagena das Índias.

O Jornalismo e Gabriel Garcia Márquez

O jornalismo teve um papel importante na formação de Gabriel como um escritor, tudo começou em 1948 para as páginas do El Universal. Já no ano seguinte, 1949, ele passa a ser repórter do jornal El Heraldo em Barranquilha. Nesse período, Gabriel também participava de um grupo de escritores que tinha como objetivo incentivar a literatura. Em 1954, ele passa a trabalhar como repórter para o Jornal El Espectador. Foi nesse jornal que ele passou a atuar como crítico também.

Quatro anos depois, em 1958, Gabriel se torna correspondente internacional na Europa, porém, retorna para Barranquilha e casa-se com Mercedes Barcha, com quem tem dois filhos. Os meninos se chamam Rodrigo e Gonzalo, o primeiro se tornou um cineasta. O ano de 1961 marca a ida de Garcia Márquez para Nova Iorque para ser correspondente internacional e crítico.

Esse é um momento decisivo na vida do escritor, pois as suas fortes críticas a exilados cubanos e também a sua proximidade a Fidel Castro, o tornam um alvo de perseguições por parte da CIA. Esse fato o obrigou a se mudar para o México. No ano de 1994, ele, juntamente com o seu irmão Jaime, funda a Fundação Neo Jornalismo Iberoamericano. Simbolizando o seu amor pelo Jornalismo.

A Literatura e Gabriel Garcia Márquez

Foi no ano de 1955 que Gabriel publicou o seu primeiro romance, chamado “La Hojarasca”. No ano de 1961 dá sequência ao seu trabalho como escritor com a publicação de “Ninguém escreve ao coronel”.

Uma obra que chama muita a atenção dentre os trabalhos de Gabriel é “Relato de um náufrago” que conta a história real do naufrágio de Luis Alejandro Velasco. Para muitos, essa publicação é o seu primeiro romance e foi publicado no Jornal “El Espectador”. Essa obra foi posteriormente publicada em forma de livro, porém, sem o conhecimento de Garcia Márquez.

Uma coisa bastante interessante sobre o trabalho de literatura desse escritor é que ele possui obras de ficção e não ficção. Os livros “Crônica de uma morte anunciada” e “El amor en los tiempos del cólera” são exemplos de obras de não ficção. Porém, foi no ano de 1967 que ele publicou a sua obra mais famosa, que é de ficção, estamos nos referindo a “Cem Anos de Solidão”. Para quem não conhece, essa obra narra a história de uma cidade fictícia chamada Macondo, desde a sua fundação até a sétima geração de pessoas que mora na cidade.

Um exemplo claro da aplicação do Realismo Fantástico numa obra latino-americana, até mesmo por isso se trata de uma obra tão reverenciada nos dias de hoje. Um dos pontos determinantes para que ele ganhasse o Nobel de Literatura de 1982 foi as suas novelas curtas que tinham uma forte intercalação de realidade e fantasia.

Uma vez, Garcia Márquez se referiu ao seu grande mestre como sendo o escritor americano William Faulkner. No ano de 2002, ele publicou sua biografia “Viver para Contar” logo após ser diagnosticado com Câncer Linfático.

O Cinema e Gabriel Garcia Márquez

O multifacetado Gabriel Garcia Márquez sempre teve um grande interesse pelo cinema, seu trabalho girou quase sempre em torno da direção de filmes. No ano de 1950, chegou até mesmo a estudar no Centro de Cinema Experimental de Roma.

Teve uma participação direta no desenvolvimento de alguns filmes como Juego Peligroso, Presságio, Erendira dentre outros. Já em Cuba, no ano de 1986, funda no país a Escola Internacional de Cinema e Televisão com o objetivo de ajudar a fortalecer a carreira de alguns artistas da região.

Lista de Obras de Gabriel Garcia Márquez

  • O Enterro do Diabo: A Revoada (La Hojarasca) (1955)
  • Memória dos Prazeres
  • Relato de um Náufrago
  • A Sesta de Terça-feira
  • Ninguém Escreve ao Coronel (1961)
  • Os Funerais da Mamãe Grande
  • Má Hora: O Veneno da Madrugada
  • Cem Anos de Solidão (1967)
  • A Última Viagem do Navio Fantasma
  • Entre Amigos
  • A Incrível e Triste História de Cândida Eréndira e Sua Avó Desalmada
  • Um Senhor Muito Velho com Umas Asas Enormes
  • Olhos de Cão Azul
  • O Outono do Patriarca
  • Como Contar um Conto (1947-1972)
  • Crônica de uma Morte Anunciada (1981)
  • Textos do Caribe
  • Cheiro de Goiaba
  • O Verão Feliz da Senhora Forbes
  • O Amor nos Tempos do Cólera (1985)
  • A Aventura de Miguel Littín Clandestino no Chile
  • O General em seu Labirinto
  • Doze Contos Peregrinos (1992)
  • Do Amor e Outros Demônios (1994)
  • Notícia de um Sequestro
  • Obra Periodística 1: Textos Andinos
  • Obra Periodística 3: Da Europa e América
  • Viver para Contar
  • Memória de Minhas Putas Tristes
  • Obra Jornalística 5: Crónicas, 1961-1984

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Literatura
1.538

Função: Programação e SEO
Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG)
Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • melhor qe isto náo sei bem qe mais

    arlete 26 de dezembro de 2012 1:09 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *