Literatura Nordestina

A literatura é a abertura maior da imaginação,pois é através dela que os autores abrem seus corações para um mundo além das possibilidades humanas, mas não fazem uma viagem só, levam consigo todos os ávidos leitores.

Esta troca entre autor e leitor é que faz a magia da leitura, pois os textos são escritos sem destino certo, e acabam fazendo milagres onde quer que cheguem.

Mesmo com esta proximidade toda, alguns gêneros literários se distanciam do grande público, talvez pelo conteúdo apresentado ou até pela forma de escrita a ser empregada em seus textos. No entanto, há outros que nascem do povo e se tornam tão populares que acabam por ser vendidos em feiras e praças. É o que ocorre com um grande representante da Literatura Nordestina, a famosa Literatura de Cordel.

Literatura Nordestina

Literatura Nordestina

No Brasil ela é conhecida como folheto, pois assim tornou-se popular, sendo escrita em pequenos livretos que eram pendurados em cordões, como varais, daí a origem de seu nome: Cordel, porém, por aqui, a tradição dos cordões não fixou raiz.

A Literatura de Cordel tem grandes representantes, populares e ainda pouco conhecidos, mas todos muitos conceituados por sua escrita, cujo enredo são situações do cotidiano nordestino, com suas rimas e concepções linguísticas.

A maioria dos poemas de cordel vem com ilustrações feitas em xilogravuras, o que aproxima ainda mais a história do leitor, além disso, ainda apresentam uma sistematização na construção dos versos, sendo mais usados os sextetos, octossílabos e decassílabos.

Literatura de Cordel

Literatura de Cordel

Além de escrever os versos, os poetas ainda recitam suas criações em praça pública e em diversas reuniões populares, tudo feito de forma cadenciada e melodiosa, contando com acompanhamento de violões, para animar e atrair os compradores dos Cordéis.

Como esta literatura é extremamente famosa, em 1988 foi criada a Academia Brasileira de Literatura de Cordel, provando que o gênero é sério e merece todo respeito, assim como os demais.

Os autores nordestinos, em sua grande maioria, cresceram ouvindo o Cordel, e por isso, sofreram grande influência deles, valendo-se de suas rimas, suas estratégias de criação, seu vocabulário e muitos outros.

Lampião

Lampião

Os mais famosos deles são Patativa do Assaré, representante da Literatura de Cordel e ainda outros, que têm o gênero literário diferenciado como Graciliano Ramos, que como ninguém, soube retratar as agruras vividas pelo povo nordestino em seu célebre romance Vidas Secas.

Além deles ainda podemos citar Jorge Amado, que mostrou a verdadeira face da Bahia, e ainda a beleza e a sensualidade da mulher brasileira em todos os seus romances, principalmente em Gabriela.

Também representantes femininas descreveram o nordeste e seu povo, como Rachel de Queiroz e autores mais tradicionais como José de Alencar, Aluízio Azevedo, Gonçalves Dias, e ainda muitos outros.

A Literatura Nordestina merece todo apreço,pois nos deixou inúmeros representantes que enriqueceram ainda mais a Literatura Brasileira.

 

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>