Tudo Sobre o Equador

O Equador, que tem como nome oficial República do Equador, é um país pertencente a América do Sul, que faz fronteira com os países: Colômbia e Peru, e com o oceano Pacífico, possuindo além do seu território continental, as ilhas Galápagos como parte do país.

O nome Equador é derivado do espanhol ecuador, e tem relação com a linha do Equador, um dos círculos máximos da Terra, uma linha imaginária que atravessa o país por completo. A palavra que dá nome ao país deriva do latim medieval, e tem como significado “o que iguala”.

São Francisco de Quito é a capital do país, ela também foi declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, possuindo o centro histórico mais bem preservado da América Latina. Abaixo vamos conhecer um pouco mais sobre esse país, tanto de sua história, como das suas características que o fazem um país único.

História do Equador

A região que hoje é o país é habitada desde o período pré-inca, época em que as civilizações viviam em clãs, sendo que esses clãs juntos formavam tribos, e as tribos que eram aliadas formavam as chamadas confederações. Nessa região havia a Confederação de Quito, que era extremamente poderosa.

Bandeira do Equador

Bandeira do Equador

Em meados do século XV os povos incas tomaram a região, por meio de uma invasão extremamente selvagem, que resultou na morte de muitos habitantes da região, eles ocuparam a região que era chamada de Quito, e passaram a desenvolver ali um centro administrativo para colonizar o território por completo. Os povos incas se expandiram durante o século, enfrentando algumas resistências ferozes dos povos que ali viviam, que foram superados no ano de 1500, quando os incas conseguiram tomar a maior parte do Equador e incorpora-lo ao Império Tawantinsuvu.

Com a forte ocupação, a influência inca se tornou maior em algumas regiões do país do que em outras. Em alguns locais os costumes permaneceram inalterados, mesmo com a dominação inca, já em outros, diversos aspectos do cotidiano dos povos foram alterados devido a ocupação. A dominação inca esteve presente por cerca de meio século no país.

Esse período é chamado de Era pré-colombiana, que se estende desde as primeiras ocupações até a chegada dos incas, essa era é comumente dividida em quatro eras, sendo elas desde o período de formação dos povos até a chegada dos incas.

A dominação inca teve fim com a chegada dos espanhóis, no ano de 1531. Nesse ano, o Império inca estava praticamente em alta destruição, passando por um período de conflitos internos e doenças que assombravam os povos, com isso, foi fácil e rápida a vitória dos espanhóis sobre eles. Fora isso, os espanhóis eram evoluídos em relação as táticas de ataque e também as armas, fora isso, suas vestimentas e seus animais, cavalos, assustavam os incas.

Com a chegada dos espanhóis veio também inúmeras doenças com as quais os índios nativos nunca haviam tido contato, e, portanto não eram imunes, o que causou a morte de milhares deles. Os espanhóis também forçaram os índios a trabalharem por meio da encomienda, um sistema de trabalho muito vantajoso para os espanhóis, em vista de que os índios eram obrigados a pagar impostos exorbitantes infringidos a eles.

No ano de 1563 foi criado na cidade de Quito a Real Audiência de Quito, o que elevou a cidade a um distrito administrativo. Foi na audiência de Quito em que iniciou a luta pela independência do país, anos mais tarde depois de sua criação. Era notável que aqueles que eram vindos da Espanha, ou descentes desses, possuíam diversos privilégios em relação aos moradores nativos.

Essa revolução ganhou força em 1822, quando os locais derrotaram o exército real, e uniram-se à Grã-Colômbia, permanecendo nessa união até o ano de 1830, quando houve o colapso da Grã-Colômbia, e então surgiu a República do Equador. Após a independência o país passou por momentos de instabilidade, com movimentos políticos diversos.

Ingapirca, Equador

Ingapirca, Equador

Chegada do Século XX

O século teve início com conflitos com os países vizinhos, que ocorreram entre os anos de 1904 a 1942, ano em que foi homologado a “Protocolo do Rio de Janeiro”, que estabeleceu fronteiras entre Equador e Peru. Porém, o estado de guerra entre os dois países se manteve até o ano de 1998, quando os presidentes dos países firmaram um acordo para definir as fronteiras dos países, além de tratados de comércio e navegação que deram ao Equador o direito de navegar pelo rio Amazonas.

O mercado do país era basicamente agrícola, focado principalmente no cacau. Com a segunda guerra mundial houve certa perda desse mercado, que se recuperou após o período de guerra, e teve um crescimento devido à indústria de banana.

O país passou por um período político próspero, com uma sequência de três presidentes eleitos e completando o mandato até o ano de 1960. A partir de então, o país começou a passar por certas intervenções militares, que culminou em um golpe militar no ano de 1972. Nessa época um dos principais movimentadores da economia era o petróleo, e com o golpe militar a riqueza do petróleo passou a ser utilizada para custear a reformar agrária, industrialização do país e subsídios concedidos.

A democracia foi restaurada no país em 1979, e o primeiro presidente foi Jaime Roldós Aguilera. Em 1987 um terrível terremoto assombrou o país, o que fez com que suspendessem a exportação de petróleo, e complicasse a situação econômica do país. Os presidentes seguintes vieram de diferentes partidos. Em 1996 o presidente eleito foi deposto após um ano de mandato, sob alegação de incompetência mental. Em 1998 entrou em vigor a nova Constituição do país, que havia sido escrita no ano de 1979.

O presidente Jamil Mahuad, que assinou o acordo de paz com Peru, porém sua popularidade foi decrescendo devido às instabilidades sofridas pelo país. Ele decidiu mudar a moeda oficial do país, o sucre, para o dólar americano, o que causou grande revolta dos povos nas classes de menor poder aquisitivo.

O Novo Milênio no Equador

Os anos 2000 se iniciaram com diversas manifestações indígenas na cidade de Quito. No dia 21 de janeiro, durante uma dessas manifestações, a polícia se recusou a reprimir os manifestantes um ato de extrema importância perante a situação do país. Nesse mesmo dia a Assembleia Nacional Constituinte cravou um golpe de estado no país, instituindo uma junta para intervir na administração do país.

Gustavo Noboa Bejarano

Gustavo Noboa Bejarano

Após tal golpe o presidente Mahuad foi obrigado a fugir do palácio presidencial, e deixou o seu vice presidente, Gustavo Noboa, responsável pelo país. Ele foi reconhecido pela junta instaurada e se tornou Presidente da República. Ele continuou a política da instalação do dólar no país, o que pareceu gerar uma melhoria na economia do país.

A próxima eleição foi vencida pelo Coronel aposentado Lucio Gutiérrez, que assumiu a presidência sob um discurso de combater a corrupção no Equador. Apesar do discurso forte, seu partido não possuiu força suficiente diante do congresso, sendo forçado a negociar com outros partidos. Ele deixa o poder em 2005, e seu vice-presidente Alfredo Palacio, assume a presidência do país. As eleições seguintes ocorreram em 2007, quando Rafael Correa assumiu a presidência e ficou no cargo por 10 anos. Em 2017 Lenin Moreno Garcez assumiu a presidência do Equador.

População Equatoriana

A estimativa apresentada no ano de 2018 aponta que o país conta com 17.116.053 pessoas. A diversidade étnica do país é extensa, sendo que a maioria da população é mestiça, descendente dos índios que se miscigenaram com os colonizadores espanhóis, os mestiços representam 71% da população, sendo assim a população dominante. Além deles há os equatorianos brancos, que representa cerca de 6,1% da população, sendo uma mistura de diversos imigrantes europeus que se instalaram no país no início do século XX.

População Equatoriana

No país também a comunidades de descentes do Oriente Médio, e uma pequena população de judeus europeus. Os ameríndios, como são chamados os nativos que estavam ali antes da chegada dos espanhóis, representam cerca de 13% da população. Há também os afro-equatorianos, cerca de 7% da população.

No país, a principal língua falada é o espanhol, sendo ela utilizada por 94% da população, além dele há 13 idiomas oficiais das comunidades nativas, entre eles o shuar e o quíchua.

Religião no Equador

De acordo com dados de Censos Equatorianos, cerca de 91,95% da população do país possui uma religião, há também 7,94% de ateus, e 0,11% de agnósticos.

Daqueles que possuem religião, a maioria é católica romana, cerca de 80,44% da população, sendo esse grupo o mais expressivo no país. Da população restante, 11,30% são protestantes, e as Testemunhas de Jeová representam 1,29% da população, os outros 6,97% são de outras religiões, como o judaísmo e budismo.

Basílica del Voto Nacional (Quito, Equador)

Basílica del Voto Nacional (Quito, Equador)

Entre as populações rurais, é comum o sincretismo de religiões, onde se combinam aspectos tanto do catolicismo com costumas das crenças indígenas, marcas dos nativos que viveram antes dos europeus.

O país reúne belíssimas igrejas históricas, que são praticamente obras de arte, principalmente em seus centros históricos. Ele também conta com centro das outras religiões, como centros judaicos, israelitas, dentre outras religiões.

Cultura do Equador

A cultura do país é totalmente influenciada pela população mestiça, com os ancestrais tanto de população nativa e a herança espanhola por eles herdada. Há também alguns elementos da cultura africana, devido a escravidão, que não era a principal força de trabalho do país, porém se mostrava aparente, além disso, escravos fugitivos da Colômbia se instalaram no norte do país.

Os costumes de todos esses povos foram integrados nas culturas dos locais, fazendo com que a cultura tenha influência de todos em graus diferenciados ao longo do país. A confecção de esculturas, cerâmica, pintura e também os trabalhos em prata e ouro são comuns no país. As casas mais antigas apresentam o formato de corredores em torno de um pátio. Na música, os instrumentos de sopro são os principais elementos, como flautas e outros. A comida no país é diversa, sendo os principais elementos ovo, vegetais e arroz, além dos frutos do mar, sendo servidos geralmente em sopas, como o Lechón, um prato extremamente tradicional, de sopa de carne de porco.

Cultura do Equador

Cultura do Equador

Aspectos Governamentais

O país é uma república presidencialista unitária, o que significa um estado unitário, sem divisões dentro de si. O seu presidente e vice-presidente é eleito por voto popular, que é obrigatório para todos as pessoas com idade entre 18 e 65 anos e que sejam alfabetizadas, e governam durante um período de quatro anos, podendo haver um segundo mandato. Após eleitos, eles escolheram os ministros e governadores das províncias. A assembleia Nacional é composta por 100 membros, possuindo única câmara. Esses membros são eleitos por voto popular. O país possui 24 províncias.

O país é membro das Nações Unidas (ONU), e apoia sempre os objetivos dessa e também da Organização dos Estados Americanos (OEA). Além disso, é membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), e de vários grupos regionais, como o Sistema Econômico Latino-Americano, Banco do Sul, União das Nações Sul-Americanas, Comunidade Andina de Nações, Aliança Bolivariana, Associação Latino-Americana de Integração e a Organização Latino-Americana de Energia.

Lenín Moreno, Presidente Atual do Equador

Lenín Moreno, Presidente Atual do Equador

Economia do Equador

O país apresenta a oitava maior economia da América Latina, que teve um crescimento elevado entre 2000 e 2006, com cerca de 4,6% em média. Do ano de 2007 a 2012 ele manteve o crescimento, com uma melhoria do PIB de cerca de 4,3% em média anual. Tendo em 2011 o terceiro maior crescimento do PIB na América Latina.

O país possuía uma taxa de desemprego de 8% em 2008, e ela foi diminuindo de acordo com o passar dos anos. O índice de pobreza extrema também caiu no país de maneira extrema, representando 40% da população em 2001, e cerca de 17,4% em 2011.

O país possui como maior fonte de sustento da economia o petróleo, com cerca de 40% das exportações do país. O país também é o maior exportador de bananas do mundo, ainda no setor agrícola é um grande exportador de flores e produtor de cacau, além de cana-de-açúcar, camarão, algodão, arroz, palma e milho. Ainda em relação aos recursos naturais, é um exímio produtor de madeira como manguezais e eucalipto. O país foca sua produção no mercado interno. A indústria do país se concentra principalmente em Guayaquil, sendo o maior entro industrial do país, e também na cidade de Quito.

Equador - Viagem e Turismo

Equador – Viagem e Turismo

Aspectos da Infraestrutura do Equador

A extensão territorial do país é de 256 370 km². Ao longo dele, possui mais de 43.670 km de rodovias, e 961 km de ferrovias, que tem sido utilizada recentemente principalmente como atração turística.

O Equador conta com 432 aeroportos, sendo que o aeroporto internacional de Quito e o aeroporto internacional de Guayaquil são os de maior demanda. O aeroporto de Guayaquil possui um terminal aéreo que já foi considerado o melhor da América do Sul.

A educação no Equador é obrigatória dos 5 aos 14 anos de idade, faixa em que ela é gratuita, antes dos 5 a educação não é obrigatória. Após esse nível básico as pessoas frequentam o Bachillerato, que é uma especialização antes da educação superior, podendo ser nas áreas: técnicas, sociais, químico-biológicas, físico-matemática, com duração de 3 anos. O ensino superior é escolhido entre uma das 61 universidades, além disso, há cerca de 300 institutos que oferecem o treinamento técnico. Estima-se que somente cerca de 76% das crianças completaram os estudos obrigatórios, o número caindo para cerca de 10% nas áreas afastadas.

Mapa do Equador

Mapa do Equador

Os maiores ícones da ciência no Equador são: Pedro Vicente, que foi um grande matemático e cartógrafo, que nasceu em 1707; Eugenio Espejo que nasceu em 1747 e foi um grande médico; José Rodriguez Lavandera que foi um grande engenheiro, e construiu o primeiro submarino da América Latina; José Aurelio Duenãs, o químico que inventou a serigrafia têxtil; Reinaldo Espinosa Aguilar, um grande botânico e biólogo. Entre os cientistas contemporâneos, estão Eugenia Del Pino, que foi a primeira equatoriana a entrar para a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, e Arturo Villavicencio que ganhou um Prêmio Nobel da Paz no ano de 2007.

O país ocupa a 96º posição no ranking de inovação em tecnologia, sendo que suas principais pesquisas científicas estão na área da medicina, com o foco em tratamento de doenças infecciosas, além da engenharia agrícola, bioengenharia e a área farmacêutica. O país não consume muita tecnologia estrangeira.

A Geografia do Equador

Esse é um dos menores países da América do Sul, sendo que a maioria da sua paisagem é dominada pelos Andes, que passa pelo centro do país, com altitude que alcança os 6.310 metros. O país também possui parte do seu território na Bacia Amazônica, cerca de um quarto dele. Ele possui o vulcão Chimborazo, o mais alto vulcão do mundo.

Montanhas - A Geografia do Equador

Montanhas – A Geografia do Equador

O país possui suas terras divididas em quatro zonas principais, sendo elas: O Oriente, um local de clima úmido e quente, onde se encontra uma parte da floresta Amazônica, e se localiza ao leste do Equador. A Serra, parte do Equador onde estão os Andes, dividindo o país de note a sul, possuindo diversos vulcões, alguns ativos, nessa parte do país está as principais cidades, como Quito e Cuenca. A costa, a região plana do país, localizada ao oeste. E as Ilhas Galápagos, com cerca de 1000 km de distância do continente.

O clima do país se difere conforme a região, havendo uma variedade ao longo do território, principalmente devido à altitude. No geral o país possui clima subtropical úmido na parte costeira, floresta tropical em suas terras baixas e temperado e seco no planalto. Como está localizado na linha do Equador, o nascer do sol ocorre sempre as seis horas, assim como o pôr do sol.

Fauna e Flora do Equador

O país está entre os dezessete países megadiversos do mundo, tendo uma das maiores biodiversidade por quilômetro quadrado do planeta. Lar de milhares de espécies, conta com cerca de 1600 espécies de aves, 16 mil espécies de plantas, 6 mil espécies de borboletas, dentre outros números impressionantes.

Fauna e Flora do Equador

Fauna e Flora do Equador

Ele é lar de muitas espécies endêmicas, ou seja, que somente se desenvolvem ali, sendo a maior concentração deles as Ilhas de Galápagos, são cerca de 38 espécies de aves endêmicas, 106 répteis e 138 anfíbios. As Ilhas são consideradas Patrimônio Mundial pela UNESCO. Apesar disso, efeitos ambientais negativos tem afetado a ilha.

O país é o único no mundo que reconhece em sua constituição os direitos dos ecossistemas, e sua biodiversidade é protegida como prioridade nacional, contendo em seu Plano de governo o apontamento da preservação de 32% da área do país.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Américas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *