Pão de Forma Deforma?

Qual o Tamanho da Diferença Entre o Necessário e o Supérfluo?

A medida correta muitas vezes fica além de nossa capacidade de avaliar o tanto de carga que podemos entulhar em um veículo.

Estamos Falando de Carro? De Caminhão? De Trem de Carga? De Organismo Humano?

Pão de Forma Deforma?

Pão de Forma Deforma?

Quero falar sobre o organismo humano e a desumanidade que muitas vezes impomos à essa máquina maravilhosa, portadora de nosso espírito. Não acredita? Normalmente quando falo de minha mão, falo “minha mão”, se falo de meu pé, falo “meu pé”, se falo de meu corpo, falo “meu corpo”, então, quem sou eu? Insisto, então quem sou eu? Bom, este será tema de outro texto. Voltemos ao original.

Na união de dois corpos para a fecundação, os dois “dão” o melhor de si para proporcionar o encontro da melhor porção de cada um para o nascimento de um indivíduo com o maior nível de sucesso possível.

Bem, nasce um indivíduo o mais perfeito possível, com a missão de ser a imagem e semelhança do Criador. O que pode acontecer ao longo do tempo? Excesso, excesso e excesso de muito ou pouco. Claro, excesso de pouco alimento leva à inanição, excesso de muito alimento leva à obesidade. É uma questão de parâmetro. Excesso às vezes pode se de falta e por vezes o excesso é tão pernicioso quanto a falta.

Corrida Atrás do Bicho

Marcas

Marcas

Quando corríamos na savana atrás do bicho e à frente do bicho, certamente éramos mais dispostos e menos doentes. Era a luta para comer e outra batalha para não ser comido, mas isso foi há muito tempo, nem me lembro mais! Devido às facilidades impostas pelo novo mundo, o veículo de nossa alma está cada vez mais pesado, pesando o comando, que é nossa cabeça.
A Briga

A “briga” pelo preciso de mais, acaba por nos tornar um bando procurando um algo que não sabemos bem do que se trata, para o preenchimento de um espaço que nem sempre precisa ser preenchido. Prá que preencher as veias de gordura para depois acabarmos no cateterismo? Fácil falar, não?

Hoje mesmo almocei demasiadamente e alimentei um bocado a quantidade de colesterol nos dutos que transportam minha saúde. Por que procedemos assim? Conveniência e outras desculpas vêm rápido à conversa quando precisamos justificar ações e atitudes juvenis, em uma era em que a informação sobra nos veículos de comunicação.

História

História

A grande questão que vejo entre o necessário e o desejado é o bendito limite tão difícil de ser estabelecido. Queremos sempre mais, não analisamos muito se é bom ou ruim, o que queremos é acumular, mais e mais. O que pode ser o deformador? O pão de forma, a velocidade, a apatia, o sexo, o trabalho? Pão de forma é ótimo, desde que seja na medida boa para cada veículo do ser. O que estamos perdendo é a capacidade de análise e se for o caso, fazer diferente do bando.

Autor: Dirceu Pereira Mendonça

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *