Mitos Folclóricos

Os Mitos Folclóricos são histórias passadas de um para outro através da tradição oral, e quase sempre estão ligadas a sinais da natureza, como um grande vento, um dia chuvoso e muitos outros.

No Brasil são vários os mitos que se espalharam através dos tempos, e mostram grande diferença, de acordo com a região onde é contada a história, sendo os principais de origem indígena e também europeia.

O mais popular deles, que acabou sendo desmistificado como personagem de história infantil de Monteiro Lobato, é o Saci-Pererê, um menino negro, que fuma cachimbo, tem apenas uma perna, usa gorro vermelho e é muito famoso por fazer tranças apertadas nas crinas dos cavalos. Além disso, é muito conhecido por criar pequenas desavenças domésticas, como quebrar coisas e trocar utensílios do lugar.

Já o Boitatá é do bem, pois protege os campos e as florestas da ação maléfica daqueles que os querem destruir, surgindo na forma de uma grande serpente de fogo. O primeiro relato que se tem notícia foi escrito por José de Anchieta, e hoje sabemos que Boitatá é o nome dado aos índios para o fenômeno natural do fogo-fátuo.

Na Amazônia, o mito mais narrado é o do Boto, que aparece como um rapaz bonito e elegante, que seduz as moças levando-as para a beira do rio e as engravida. Porém, antes que o dia amanheça, ele se joga na água e volta a ser um boto, deixando as moças desamparadas.

Há ainda o mito do Caipora, um indiozinho ou indiazinha, como uma criança, com uma só perna e cabeça grande. Alguns acreditam que ele vem e atrapalha todos os negócios da pessoa que o vê.

Também há outros mitos, como a Cuca, velha muito feia que assombra a todas as crianças desobedientes, uma bruxa, sendo um mito de origem da Europa.  

Outro mito muito conhecido é o do Curupira, um anãozinho que possui os pés virados para trás, sendo o protetor das florestas e dos animais, especialista em fazer com que os caçadores se percam durante suas caçadas.

É conhecido não somente no Brasil, mas em toda a América do Sul, porém, com nomes diferenciados, como: Selvage, Máguare e Chudiachaque. Alguns acreditam que ele seja careca, outros, porém, já o viram com vasta cabeleira vermelha.

Além dos mitos folclóricos já citados ainda temos outros com grande expressão no Brasil, como a Iara, com características de sereia, que encanta os homens e os carrega para o fundo dos rios; o Lobisomem, homem comum que se transforma em lobo em noites de lua cheia; a Matintapereira, uma coruja que executa seu canto à noite, para anunciar    a morte de alguém próximo. Ainda temos a Mula-sem-cabeça, mulher que teve relação sexuais com um padre e o Negrinho do Pastoreio, alma de um bom negro, que ajuda a encontrar coisas perdidas. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • o negrinho e o padre te relações sexuais com a mula se cabeça eu to passada

    jessyka 22 de agosto de 2012 13:16 Responder
    • ñ foi bem isso q está escrito lê novamente: Ainda temos a Mula-sem-cabeça, mulher que teve relação sexuais com um padre *e o Negrinho do Pastoreio, alma de um bom negro, que ajuda a encontrar coisas perdidas.

      karol 18 de setembro de 2013 18:02 Responder
  • QUE LEGAL ESSE FOLCLORE VAI SER NESSE ANO

    Nome JOSIANE 22 de agosto de 2012 18:15 Responder
  • eu achei interessante essas lendas folcloricas

    emelly 24 de agosto de 2012 15:13 Responder
  • isso não é mito é lenda muito diferente um do outro

    kadu filho 22 de maio de 2013 22:45 Responder
  • o folclore faz parte da cultura brasileira!!

    maria 10 de agosto de 2013 14:52 Responder
  • ESSE SITE TEM O SUFICIENTE PARA EU TERMINAR O MEU TRABALHO ESCOLAR!!!!!

    JOANA 10 de agosto de 2013 15:48 Responder
  • gostei muito vc trabalhar com meus alunos.

    daniela 20 de agosto de 2013 16:14 Responder
  • ótimo

    evili camili oliveira santos 21 de agosto de 2013 13:16 Responder
  • Eu queria mitos, nao lendas, affs :/

    Ronyviia 22 de agosto de 2013 10:36 Responder
  • eu gosto muito de mitos folcloricos

    pháblo cearámor 22 de agosto de 2013 20:56 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *