Consequências da Imigração Venezuelana no Brasil

Diariamente inúmeros venezuelanos saem de seu país na busca de uma vida melhor em outros países da América Latina, em especial o Brasil que é um dos seus vizinhos. O país passa por uma crise política e econômica sem precedentes que acarretou em falta de energia elétrica, de alimentos e até atendimento médico. Viver na Venezuela se tornou praticamente um teste de resistência, o qual nem todos estão dispostos a encarar.

De acordo com estatísticas entre 10 e 12% dos venezuelanos já estão radicados em outros países. Trata-se de um número considerável de pessoas que passa a fazer parte de outra nação, o que traz consequências para o país que recebe esses cidadãos venezuelanos. Continue lendo para entender como se chegou a esse panorama e quais são as principais consequências.

Crise na Venezuela: Como Chegou a Esse Ponto?

Para os estudiosos de política a origem do problema remonta a eleição de Hugo Chavéz, contudo, se agravou significativamente quando, em 2013, Nicolás Maduro assumiu o comando do país. A principal fonte de renda da Venezuela era o petróleo e isso fez com que estourasse uma grave crise econômica em 2014 devido ao colapso do preço do petróleo. Uma das consequências diretas foi à escassez da moeda que erroneamente foi remediada com a impressão de mais dinheiro.

Imigração Venezuelana no Brasil

Imigração Venezuelana no Brasil

Quando partiu para a impressão de moeda o governo aumentou significativamente a inflação e abriu um período de quatro anos de recessão. A população passou a ter dificuldades para acessar os itens mais básicos da vida cotidiana como alimento. A sensação de que não há mais como sobreviver em seu próprio país fez com que muitos venezuelanos decidissem deixar a sua nação. Atualmente, o que se vê não é uma crise econômica e sim uma crise humanitária no país.

O Processo de Migração

Os primeiros venezuelanos a deixar o país foram os mais abastados financeiramente e os intelectuais. Com o passar do tempo e o agravamento da crise todas as camadas sociais começaram a buscar maneiras de deixar a Venezuela. Os menos favorecidos têm deixado o país a pé, o longo e tortuoso caminho é necessário, pois levaria algo perto de 30 anos para conseguir ter dinheiro para pagar uma passagem de avião.

Especialistas em política observam que a migração intensa é uma estratégia de Maduro para atingir sua oposição. No entanto, a diáspora venezuelana não afeta somente o país de origem, mas também todos aqueles que acolhem esses cidadãos. Oferecer um novo lar para quem não tem nada é uma ação humana no sentido mais profundo da palavra, mas não se pode deixar de reconhecer as dificuldades implícitas nesse ato.

Comparando o êxodo venezuelano a outras migrações temos um quadro devastador, o número de cidadãos que deixaram a Venezuela durante essa crise é muito maior do que o de cubanos que fugiram após a revolução de Fidel Castro. Deve ser feito adendo de que os cerca de 1,4 milhão de cubanos que deixaram a ilha o fizeram ao longo de 60 anos. Os venezuelanos estão há menos de uma década nesse processo e já superaram essa marca. A crise dos refugiados sírios pode ser usada como um paralelo.

Fronteira Venezuala x Brasil - Consequências da Imigração

Fronteira Venezuala x Brasil – Consequências da Imigração

Colapso de Cidades Fronteiriças

As cidades brasileiras que se encontram na fronteira com a Venezuela como Boa Vista e Pacaraima, ambas em Roraima, viveram um verdadeiro colapso pela incapacidade de receber um volume tão significativo de pessoas de uma única vez. Essas cidades, como as cidades de outros países da América Latina, não estavam preparadas para esse êxodo e não tem em boa parte dos casos estrutura para receber os venezuelanos.

O governo de Roraima ficou aturdido com o aumento da demanda por leitos de hospital – na Venezuela não há nem atendimento básico para os cidadãos que chegam aqui debilitados da viagem e das péssimas condições humanitárias a que estavam submetidos – e pelo crescimento da criminalidade em parte incitada pela revolta de populares dos dois lados, tanto daqueles que chegaram e se sentiram rechaçados como dos brasileiros que passaram a ver os venezuelanos como inimigos que chegaram para roubar seus empregos.

Houve casos de perseguição e até de incêndios criminosos a acampamentos de imigrantes. O estado de Roraima passou a enfrentar uma situação de calamidade da segurança em que não tinha controle sobre o que acontecia em seu território. Espera-se que esses efeitos negativos se dissipem com o passar do tempo, afinal a recepção dos venezuelanos pode assumir contornos mais positivos.

Consequências Positivas de Receber os Venezuelanos

O que inicialmente pode parecer negativo para os brasileiros pode se converter num quadro bastante positivo. Na Argentina, por exemplo, estima-se que boa parte dos imigrantes da Venezuela sejam qualificados e empreendedores. Já no Chile em torno de 60% dos médicos que se candidatam a vagas de emprego são venezuelanos.

O mais importante é ter políticas assertivas que permitam integrar os imigrantes a rotina do Brasil e torna-los membros úteis para a sociedade. Sob o ponto de vista humanitário não existe a mínima possibilidade de fechar as portas para um povo que precisa de ajuda para não morrer na sua terra natal.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Américas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *