Tudo Sobre Democracia Social

A democracia racial nada mais é do que as relações raciais dentro do país. De certa forma esse termo, indica que o Brasil já estaria livre do racismo, ou de qualquer tipo de discriminação racial em relação a outros países, como os Estados Unidos.

Aos olhos de alguns pesquisadores, os brasileiros não se sentem discriminados em relação à raça. Mas sim através de vários outros fatores como classe social e sexo, e a discriminação social seria o menor deles.

Alguns sociólogos afirmam que exista o racismo dados em formas de agressão física e psicológica com o motivo de diferenças raciais. Isso quer dizer que a democracia racial está longe de acontecer na sociedade, no entanto há um mito sobre essa situação que cria uma imagem diferente e ideológica pro lado positivo, que é totalmente desconhecida pela sociedade.

Conceito de Raça

Todo o conceito de raça em si já é inconsistente, pois o ponto de vista da própria ciência, não classifica indivíduos da mesma espécie. Porém quando existe saber racional outros  valores são agregados a práticas culturais e isso leva as diferenças. Em qual quer sociedade os valores são relevados em relação a cultura e as ideias da ciência.

Dessa forma fica claro que é no passado que a questão racial foi determinada. Durante a escravidão, por mais que isso tenha sido “justificada” pela religião, a ideia se perpetua até hoje. Os trabalhos mais braçais e subalternos são de responsabilidade dos negros, pois o branco é civilizado e só precisa liderar e acionar o desenvolvimento. A lei do “Um manda e outro obedece”.

O Mito da Democracia Racial

Existem altos índices de desigualdade no Brasil, os dados são representados por pesquisas respeitadas e tiram todas as duvidas de como a situação é grave para o lado de quem tem a pele negra.

As pesquisas provam que mesmo com tudo o progresso relacionado à democracia os negros ainda estão saindo em desvantagens. Um exemplo disso são os dados vistos nas áreas de educação, justiça, infra-estrutura e habitação, do total de vagas em universidades no Brasil:

  • 97% são brancos;
  • 2% são negros;
  • 1% orientais.

Mais de 20 milhões de pessoas vivem abaixo do nível de pobreza:

  • 70% são pessoas negras;

A dimensão das desigualdades é muito grande e em alguns casos assustadora para o lado dos negros. E esse tipo de preconceito prejudica a vida dessas pessoas em todos os sentidos, profissionalmente, social, psicológica e em situações mais graves até agressão. Isso é mais uma prova de que a democracia racial ainda é um mito.

Em contra partida existem um enfrentamento nessa causa, o desenvolvimento de políticas mais afirmativas estão cada vez mais obtendo apoio da sociedade de forma unanime. Alguns intelectuais afirmam que é necessário esse apoio de políticas positivas. Mas ainda existe uma resistência no sentido de tratar pessoas diferentes de forma igual, isso ainda é um progresso que não existem em lugar nenhum.

Esse tipo de implementação é rejeitado de inicia obviamente por ser uma ideia um tanto radical de mais. As pessoas estão sempre acostumadas com o atual, com as coisas como são ninguém quer uma mudança radical na vida. Na verdade as pessoas têm medo do novo e o principal motivo é que nem todo mundo se interessam por essa causa.

Muitos movimentos e causas foram montadas em prol dessa igualdade de etnias ou raças para tentar solucionar os problemas. Um deles foi a adoção de cotas nas universidades.

Sobre As Cotas

Essa lei tenta quebrar o mito da democracia racial. Mas aos olhos de algumas pessoas essa política não é tão positiva quanto parece, pois ela tenta a fortalecer o preconceito racial, pois de certa forma ela força a identidade indígena e negra da sociedade no país.

O sistema de cotas reduz, abala, mas não acaba com o preconceito em si. Ele afirma de certa forma a democracia racial, mas isso não retira a forma como as pessoas são prejudicadas depois que elas ingressam nas universidades. O fato de acrescentar uma nota para que a pessoa tenha uma vantagem na hora da classificação, aponta as falhas que o sistema todo tem.

Em questão de favorecer uma pessoa com condições abaixo das expectativas, isso empobrece toda a causa de políticas positivas já estabelecidas. O fato é que as escolas dão acesso, mas não o suporte como deveria ser dado. A própria universidade não acolhe o aluno que tem cota da mesma forma que acolhe os outros alunos. Mas ela não consegue isso por falta de estrutura de uma equipe que deixe claro qual a política pública que fazendo esse tipo de trabalho de efeito dentro do local.

Impacto da Democracia Racial

Não há como negar que o sistema de cotas não influencia na vida futura dessas pessoas de forma positiva. A presença de negros e indígenas na graduação melhora e muito a vida delas dentro do mercado de trabalho em relações com as pessoas e na sociedade de forma geral.

Mas é claro que muitos outros investimentos devem ser feitos para poder abordar essa política como um todo e em todas as suas bordas. O problema de um sistema falhar é ele permitir brechas que se não forem consertadas estrada todo o projeto e a causa acaba ficando mal vista.

http://www.youtube.com/watch?v=SiUuZAwCR0Q

Mas essa ideia num sentido torto tem um propósito bem definido. Existe um estatuto da Igualdade Racial onde uma lei é estabelecida com um conjunto de princípios jurídicos e uma quantidade grande de regras, que visa estabelecer uma política definida para diminuir essa desigualdade social que existe entre os membros de etnias diferenciadas.

Algumas medidas concretas atendem esse interesse, tanto no individual quanto no coletivo, mas ainda falta incentivo. Nenhuma mudança acontece de repente e nada pode ser cobrado de pessoas que também não sabem nem obter uma opinião sobre o assunto em questão. As medidas devem ser todas de imediato? Sim. Mas elas não podem também achar que a solução será repentina também. Falta investimento e falta comprometimento com questões sérias e inacabadas como essa.


Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *