Nietzsche Obras

Friedrich Wilhelm Nietzsche foi um filósofo alemão do século XIX que até hoje é lembrado como um dos grandes nomes da filosofia mundial. Sua obra foi um importante contraponto à tradição filosófica que vigorava até então, livrando-a da tarefa do julgamento da vida e das ações do homem, o que, segundo ele, seria uma deturpação do papel da filosofia.

Para ele, a filosofia tinha como função liberar o homem de todas as amarras que o limitavam, como a moral e as tradições, para que a arte e o livre pensamento pudessem fluir e a criatividade humana aflorasse. Só assim o homem poderia ser pleno, contemplar e aproveitar a vida. Foi um crítico do cristianismo e da metafísica que julgava serem limitadores dos homens ao invocarem uma moral, uma dicotomia das coisas do mundo.

O autor publicou sua primeira obra em 1872, sob o título “O Nascimento da Tragédia no Espírito da Música”, que contém sua interpretação sobre o pensamento grego acerca do homem, representado nas tragédias, que se dividia em duas forças: a dionisíaca, amoral, instintiva e regida pelos sentidos, e a apolínea, relacionada ao raciocínio e ao pensamento.

Para Nietzsche, a filosofia grega se deturpou ao priorizar a apolínea, com Sócrates, e perdeu a natureza libertária dos instintos humanos.

A partir de então, já fora da universidade onde lecionava, ele escreveu várias obras que foram dando corpo e maturidade ao seu pensamento. Algumas se tornaram clássicos da filosofia, como Humano e Demasiado Humano, em que Nietzsche introduz a escrita por aforismas, e na qual o autor convoca a volta da importância dos sentidos para o homem, dominando e rompendo com os valores e a moral que ele próprio criou e nos quais se aprisionou.

Da mesma forma, em A Gaia Ciência, Nietzsche vai fazer um elogio aos poetas provençais, precursores do lirismo europeu, por suas capacidades de unir técnica a um espírito livre. É neste livro que o filósofo cita a famosa frase “Deus está morto”, com a qual ele tira responsabilidades do sobrenatural (do deus cristão, especificamente) e as atribui somente aos homens.

Em 1885, ele termina “Assim falou Zaratustra”, no qual ele apresenta seu conceito de superação do homem (super-homem). Na mesma época, ele escreveu “Para Além do Bem e do Mal”, no qual falará de forma mais densa sobre o livre pensamento, analisando preconceitos, religiosidade, a moral em voga, filosofia, etc.

Outras obras são também consideradas de grande importância para a filosofia moderna como “O Anticristo”, escrito já em seu final de vida, “Ecce Homo”, no qual fará um grande apanhado de suas obras e suas ideias.

A obra nietzschiana, ainda que mal vista na época, acabou tornando-se um marco para os filósofos modernos, tendo quebrado paradigmas e noções tradicionais consideradas naturais à filosofia e ao ser humano.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Literatura
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *