Peter Abelard: Um Importante Nome da Filosofia

Peter Abelard ou Pedro Abelardo, nasceu em Le Pallet, Bretanha, em 1079 e faleceu em 21/04/1142 em Chalons-sur-Saône, sendo um escolástico filósofo francês, grande lógico e teólogo. É tido como um dos mais ousados e maiores filósofos do século XII. O grande público o conheceu em razão de sua história de amor com Heloísa, retratada em sua obra História das Minhas Calamidades. Ocupa na filosofia uma importante posição por ter estabelecido o conceitualismo, posição que não faz parte do materialismo e nem do idealismo.

Pensamentos

Sua principal obra recebeu o nome de Dialética, e fora guiada pelo pensamento de Boécio, sendo, em Roma, a mais influente obra de lógica até fim do século XIII, utilizada como uma cartilha escolar, onde a lógica era dada como integração ao trivium, oferecendo aos estudantes as armas e argumentos às disputas teológicas e metafísicas.

O conceito de Abelardo de que o único caminho da verdade é a dialética teve um benéfico efeito naquele tempo, desfazendo preconceitos e encorajando a liberdade de pensamento. Para o pensador nada, exceto a Bíblia, é infalível; mesmo os pares e apóstolos são passíveis de erro.

O filósofo identificava a realidade à particularidade e tinha o universal como sendo o significado das palavras, deixando de lado o nominalismo. Dessa maneira, a significação dos nomes ajudava a esclarecer os julgamentos, de forma a libertar a coerência da metafísica, deixando-a uma autônoma disciplina.

Foi o mais digno filósofo e teólogo do século XII, destinado ao serviço das armas, optou, entretanto, pela das letras. Foi discípulo de  Guilherme de Champeaux e de Roscelino de Compiègne, chamando a atenção à desarmonia que os separava como aos universais.

Centrava-se a controvérsia na qualidade abstrata ou empírica dos conceitos: os universais contam com uma genérica entidade real ou são tidos como coisas pensadas puramente? Despertava o problema interesse em toda a parte teológica. Guilherme os considerava necessários e reais, enquanto que Roscelino lhes atribuía apenas o apego das palavras.

Nosso filósofo, entretanto, adotou intermediária posição: determinava como se não fossem apenas palavras, porem não estabelecendo também um real saber, já que, sendo subjetiva sua significação, exprimem somente opiniões pessoais a propósito do ser, que, entretanto, auxiliam na compreensão entre as pessoas homens. As importantes palavras se tornam universais quando são aceitas como tal, sendo usadas como forma de exprimir a necessária verdade.

Encarando não poucas lutas e dificuldades, instruiu desde 1108, na escola de Santa Genoveva,  com grande sucesso. Entre os anos de 1113 a 1118 finalmente ocupou um espaço na escola catedral parisiense. O movimento doutrinal causado por Abelardo teve repercussão também na forma de ensinar que sofreu revolução completa.

As maneiras de ensinar foram rompidas com o ensino da escola platônica, gerando-se o embrião do seria o ensino universitário, diferente inteiramente das locais escolas existentes. Entretanto o teor doutrinário do ensino era todo revolucionário.

Como forma de estudar profundamente os temas, usou o método, que fora já usado, porém desenvolvido por ele e que incidia sobre a análise dos pontos diferentes de vista relacionados a um mesmo tema, desenvolvendo desta forma as bases da escolástica, especialmente, a metodologia das disputaciones que originou a Summa. Esta técnica foi tratada em sua conhecida obra como (Não e Sim). Também foi original sua ética concepção: afirmando que é tão importante a intenção como o ato que emana dela.

Desde os primeiros tempos em Paris, Abelardo, sempre se mostrou rebelde sendo até vítima de uma castração em razão de seu amoroso envolvimento com a sobrinha do cônego Fulberto, Heloísa. Após isso, Heloísa foi ao convento e Abelardo se fechou num mosteiro.

Depois dessa fase, regularmente houve entre eles uma troca de cartas. Do amor dos dois nasceu um filho chamado Astrolábio. Abelardo foi duas vezes condenado, em 1121 no Concílio de Soissons, respondendo como um desafio, estabelecendo um oratório voltad ao Espírito Santo, e, após, em 1141, no Concilio de Sensem em razão das coações de Bernardo de Claraval, originadas por polêmica envolvendo os dois. Algum tempo depois vinha a falecer no Priorado de Saint-Marcel.

Maiores Informações

Um dos princípios de entendimento de Abelardo está ligado à frase que diz que a dúvida origina a pesquisa e por meio dela se conhece a verdade, direcionando tanto suas ideias teológicas quanto filosóficas. A partir dessa ideia o filósofo conseguiu fundamentar e formar seu critico raciocínio.

A dúvida está ligada ao início da estrada da pesquisa, sendo esta uma interrogação frequente nos levando a um mais aprofundado exame das questões que nos são pertinentes. Por meio da dúvida,  Abelardo aplica um caráter de ciência às suas inquirições.

Para o filósofo, a dialética vai muito além de um discurso proferido de maneira habilidosa, se torna um instrumento que auxilia na distinção clara entre o verdadeiro e o falso. Seguindo lógicas regras ela consegue determinar se é verdadeiro o discurso científico ou falso.     Abelardo resolve usar a força da dialética em suas argumentações e estudos, como forma de descobrir quais argumentos são legítimos e quais não são autênticos e, por meio dela faz prevalecer as doutrinas cristãs verdadeiras. Não é por meio da razão que se assimila a fé, mas ela deve tomar conta da razão, já que o discurso filosófico não tornará sem efeito o apanhado de sentenças teológicas, porém irá ajudar em sua compreensão e torná-la-á mais simples de compreender.

A filosofia atuará como mediadora entre o pensamento humano e as verdades reveladas. De acordo com os pensamentos de Abelardo, não se pode acreditar nas coisas que não se entende.

A razão irá sobressair pela opinião daqueles que possuem grande conhecimento sobre certo assunto. O filósofo não segue na contramão do uso de um pensamento de alguém culto enquanto não houver conhecimentos ou meios suficientes para se por em ato a razão. Apenas quando a razão conseguir encontrar a verdade passa a ter utilidade a autoridade.

Abelardo busca um entendimento, uma conciliação, uma harmonia ou ao pelo menos uma conversa ente os filósofos primeiros, especialmente Platão, e as teológicas teorias do cristianismo. Ele acreditava que os filósofos primeiros, ainda que estivessem longe do cristianismo, procuravam também a verdade por meio da investigação dialética.

Apesar de ocupar uma posição de intenso destaque no campo da filosofia, Peter Abelard, ou Pedro Abelardo, é também conhecido pela sua vida pessoal, especialmente pelo seu relacionamento amoroso, que chegou a custar-lhe até a acusação de herege.
Peter Abelard foi o responsável pela formulação do Conceitualismo, onde defende posições que não se enquadravam apropriadamente nem no idealismo e nem no materialismo.

A obra principal atribuída a Abelardo é a chamada Dialética, que foi escrita sob inspiração do pensamento de Boécio e transformou Abelardo no filósofo mais influente do século XII.

Sua obra foi usada como manual escolar, uma vez que a lógica era uma matéria aplicada no curriculum escolar e que fornecia argumentos e armas para batalhas metafísicas e teológicas entre os estudantes.

Abelardo, de espírito rebelde, chegou até ser vítima de castração por conta de seu envolvimento amoroso com a sobrinha do cônego Fulberto, chamada Heloísa. Após a descoberta do romance, Heloísa foi enviada para um convento e Abelardo, para um mosteiro.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Filósofos
1.538

Função: Programação e SEO
Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG)
Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *