Livro a Ira de Nasi

O vocalista de uma das principais bandas de rock dos anos 80, Marcos Valadão Rodolfo ou simplesmente Nasi, lançou uma biografia a respeito da sua vida em que contou muitas histórias para os jornalistas Mauro Beting e Alexandre Petillo que foram os responsáveis pelo texto. O livro foi lançado após cinco anos do término da banda Ira! que já retomou as suas atividades.

O que chamou a atenção nesse livro é que Nasi não deixou de falar sobre nada e nem sobre ninguém. Não se trata de um acerto de contas com os integrantes da banda com quem passou muito tempo brigado, com o irmão com quem se envolveu numa disputa judicial ou mesmo com ex-namoradas e sim com ele mesmo que reconheceu o mal que as drogas lícitas e ilícitas fizeram a sua vida.

O Nascimento do Livro

O pedido pela produção do livro foi da editora gaúcha Belas Letras que chamou o jornalista esportivo Mauro Beting para escrever o texto. Mauro tem uma história com Nasi já que é um dos principais fãs da banda e também porque já dividiu um programa de rádio sobre música e futebol com o cantor. Beting convidou Alexandre Petillo para dividir com ele o trabalho pelo fato de o último ter guardado um projeto de uma biografia sobre a banda Ira!.

A Obra

O livro apresenta a história de Nasi seguindo ordem cronológica com uma linguagem fácil e conta toda a vida do artista desde que nasceu até o momento atual. No livro tem um espaço para falar a respeito de sua carreira solo, mas o destaque vai mesmo para o período em que ele fez parte da banda Ira!. Em vários momentos a respeito da banda se percebe que o protagonista passa a ser o companheiro Edgard Scandurra.

A Reconciliação com o Irmão

Um dos únicos pedidos que Nasi fez a respeito da biografia foi que ela somente fosse finalizada depois que ele fizesse as pazes com o seu irmão Airton Valadão Júnior. O irmão que é cinco anos mais novo que Nasi moveu junto com os ex-companheiros de banda várias ações contra o cantor.

Dentre as ações a que mais doeu foi aquela movida pelo irmão e pelo pai que pedia a interdição de Nasi. No livro são descritas as pazes feitas pelos irmãos com grande riqueza de detalhes.

Detalhes da Cena Underground

Quem é fã da banda Ira! vai gostar bastante da passagem do livro que fala a respeito do envolvimento da mesma na cena punk e sua passagem pelo underground das décadas de 1980 e 1990. Talvez muitas pessoas não saibam, mas o cantor é bastante eclético em estilos e teve grande participação no desenvolvimento do hip-hop.

Vida Pessoal

Não tem como fugir de falar a respeito da vida pessoal numa biografia e Nasi não deixou de dar detalhes. Tem tantas histórias nesse livro que dentre os temas que aparecem estão chantagem, drogas, envolvimento com bandidos, magia negra entre outros.

As Mulheres e Nasi

No ano de 2006, Nasi, declarou a revista Playboy que havia transado com mais de mil mulheres. Na sua biografia ele assume que exagerou, mas que realmente foram muitas. Um dos relacionamentos do cantor que mais teve repercussão foi com a cantora Marisa Monte.

O namoro dos artistas durou um ano e meio e terminou quando Nasi admitiu para Marisa que a havia traído algumas vezes. Os dois estavam na Quinta Avenida em Nova York numa viagem paga por ela. Nasi ainda namorou outra famosa, a atriz Marisa Orth, que enfrentou muitas dificuldades enquanto o cantor estava afundado nas drogas.

A Mágoa de Edgard

Nasi acredita que o fim da banda Ira! nos anos 2000 começou quando ele teve um relacionamento com a bailarina Beatriz que havia sido namorada de Edgar em meados dos anos 1990. O cantor admite que o guitarrista de sua banda nunca o perdoou por isso e tudo se agravou quando no Acústico MTV eles gravaram a canção “O Girassol” que Scandurra havia composto para Beatriz.

Drogas

As drogas foram durante toda a vida um grande problema para Nasi, quando era muito jovem já tinha se viciado em heroína. Porém, abandonou a droga nos anos 1990 quando sofreu um acidente de carro. Contudo, ele se afundou ainda mais no vício em cocaína e vendeu quase tudo o que tinha em casa. Uma curiosidade é que a casa de Nasi se tornou literalmente um pulgueiro, as pessoas que o visitavam eram dominadas por pulgas.

Durante essa fase mais pesada das drogas Nasi tinha como principal companheiro o seu traficante que estava sempre em sua casa convencendo os músicos amigos dele a ir em noitadas. Na lista de amigos de Nasi nessa época estavam Nick Cave e Sebastian Bach. Quando se viu sem dinheiro e abandonado por uma namorada o cantor mesmo se internou numa clínica de reabilitação, isso foi em 1997. Nesse momento deixou de cheirar coca e nunca mais usou maconha.

A Briga da Banda Ira!

A banda Ira! chegou ao fim no ano de 2007 quando a briga dos integrantes se tornou pública e foi parar na Justiça. Atualmente, a banda voltou a atividade e os integrantes se entenderam. Eles reconhecem que o ano de 2007 foi o ápice dos problemas que já se desenrolavam desde os anos 1990.

Em grande parte os problemas se deram pelos temperamentos opostos de Nasi e Scandurra que batiam de frente constantemente. O fato de Nasi ter ficado com a namorada de Scandurra foi o que ajudou a destruir em parte a amizade. Nos últimos anos da banda os dois tinham pequenas picuinhas como o fato de Scandurra sempre verificar se o quarto de Nasi nos hotéis eram maiores que o seu e outras coisas. Nos últimos shows os dois não se falavam e nem dividiam camarim.

A Relativa Paz

Nasi já disse na TV que um dia se deu conta de que havia errado muito e ligou para Edgar Scandurra e os dois fizeram as pazes. Sobre o guitarrista do Ira! Nasi fala sem ter nenhuma mágoa assim como fala do baixista Ricardo Gaspa. Contudo sobre o baterista André Ung, o vocalista, diz que é uma pessoa que está morta para ele.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Livros

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *