O Que é o Tempo?

Todo ser humano tem a noção de tempo inerente a si, ou seja, tem a capacidade de reconhecer e organizar eventos através da percepção dos seus sentidos. Porém, várias pesquisas e estudos científicos ajudaram a demonstrar que os nossos sentidos bem como as nossas percepções têm a capacidade de nos pregar peças.

Para entender porque isso acontece é necessário que compreendamos que a percepção do tempo que nós temos se forma a partir dos nossos sentidos e se dá por meio de processos psicossomáticos que são influenciados por diversas variáveis sendo que muitas delas são de ordem primariamente psicológica.

Basicamente da mesma maneira que você já teve uma ilusão de ótica em algum momento da vida já teve também a sensação de que algo aconteceu muito mais rápido ou muito mais devagar do que realmente se deu. O mais curioso é que a verificação do tempo em que um evento transcorreu se dá através do relógio que é um aparelho criado pelo homem para isso.

Órgão do Tempo

Há algum tempo os cientistas que se dedicam ao estudo do tempo buscam compreender se existe algum órgão específico no corpo humano de medição do mesmo. No entanto nessas pesquisas não foram descobertas evidências fortes de que existe um único órgão que seja responsável por essa medição.

O cérebro é o que mais se aproxima dessa ideia de órgão do tempo, porém, ainda é necessário empreender diversos estudos a respeito de que maneira ele tem essa percepção de passagem de tempo.

Percepção

O tempo é algo que sentimos por meio de percepção e dessa maneira é difícil que existam afirmações confiáveis a respeito do que ele é. Por exemplo, você já deve ter escutado coisas como “nossa como esse ano passou rápido” ou “como o tempo voa”. Contudo o ano que passou rápido teve a mesma quantia de tempo que outro ano que não passou rápido.

Isso nos faz perceber que o tempo precisa de uma melhor definição científica, ou seja, entender que o tempo não flui e o que seria o tempo.

O Que é o Tempo?

Uma pergunta que faz parte dos pensamentos mais inquietos de físicos, matemáticos, filósofos, leigos enfim de muitas pessoas ao longo da história do mundo. Apesar de ser uma questão universal é fácil perceber que não se chegará a um consenso de forma tão simples.

Podemos dizer que para o homem o tempo é somente um evento psicológico, uma sensação que é criada a partir da transição do movimento. Existem algumas definições famosas a respeito do que seria o tempo como, por exemplo, a seguinte frase de autoria de Albert Einstein: “Uma ilusão. A distinção entre passado, presente e futuro não passa de uma firme e persistente ilusão.”

Sentidos

Como já destacamos acima o tempo é uma noção que nos é dada por meio das percepções que nos são dadas pelos nossos sentidos em especial por aquilo que vemos. Sendo assim podemos dizer que a nossa noção de tempo está ligada diretamente a luz e as propriedades que ela tem.

Uma das propriedades mais interessantes da luz é o fato de poder se propagar livremente e não se esgotar de maneira que é possível ver estrelas cuja luz viajou por mais de 10 mil anos-luz de distância. Basicamente um corpo metafísico que viaja na velocidade da luz faz uma viagem no tempo, pois pode ver o seu passado, não existe uma compreensão do tempo convencional nessa velocidade.

Num paralelo mais corriqueiro para nós podemos dizer que as filmagens e fotografias também podem ser entendidas como viagens no tempo, pois através do uso da luz retém a luz dos acontecimentos e de alguma forma podem ser compreendidas como viagens realizadas no tempo.

Intervalos

Para os seres humanos o tempo é compreendido como intervalos ou períodos que tem uma determinada duração. De uma maneira genérica podemos dizer simplesmente que um acontecimento se dá depois do outro. O tempo nos ajuda a medir o quanto um acontecimento se dá depois de outro. Esse tempo entre os dois acontecimentos recebe o nome de intervalo de tempo, a separação temporal entre o começo e o fim de um evento.

Sistemas de Medição

O ser humano durante toda a sua existência buscou formas de medir o tempo seja por meio do desenvolvimento de calendários e relógios seja através da investigação climática no que concerne ao tempo metrológico. Sendo assim podemos entender que nós, seres humanos, vemos o tempo como sendo um elemento do sistema de medições que utilizamos com o objeto de criar uma sequência de eventos.

Trata-se de uma forma de estabelecermos uma ideia de duração dos eventos, dos seus intervalos além de poder quantificar o movimento realizado pelos objetos. Aliás, há que se destacar que o tempo é um dos temas mais discutidos pela filosofia, ciência e religião desde que nos conhecemos por gente.

Meteorologia

Para a meteorologia o tempo consiste no estado físico em que se mostram as condições atmosféricas num momento e local específicos. Para o homem isso é importante para determinar de que maneira o estado físico da atmosfera vai influenciar na vida e na realização das tarefas humanas.

Conceituação de Tempo

Mesmo com tanto empenho em tentar entender e definir o tempo de maneira satisfatória o homem tem sido um pouco falho uma vez que não tem conseguido conceituar isso. Os gregos antigos já se preocupavam com a ideia de tempo e para eles o mesmo era definido por duas palavras que são chronos e kairós.

A palavra chronos está ligada ao tempo cronológico, ou seja, aquele que é seqüencial e que pode ser medido. Seria um momento em que se dá algo especial. A teologia inclusive entende que existe o Tempo de Deus (qualitativo) e o tempo dos homens que é chronos.

Quantidade Essencial

Para a física e algumas outras ciências exatas o tempo é uma das únicas quantidades essenciais. Isso quer dizer que o tempo pode ser usado para definir outras quantidades como, por exemplo, a velocidade. O trabalho desenvolvido por Albert Einstein elevou o tempo para o status de uma quarta dimensão no continuum espaço-tempo do nosso Universo. São três dimensões espaciais e uma de tempo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Geral

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *