Cultura de Salvador

História de Salvador 

Salvador é uma das mais belas cidades do Brasil e um dos destinos mais procurados tanto por turistas de fora do país como dos próprios brasileiros. O clima sempre de alegria combinado com a hospitalidade comum de todos os povos brasileiros fazem da cidade um local mágico para se visitar, e que com certeza, encanta a todos que tem a oportunidade de conhecê-la.

A cidade, que foi fundada em mil quinhentos e quarenta e nove sob o nome de São Salvador da Baía de Todos os Santos, devido a sua localização com seu litoral fazendo margem com a Baía de Todos os Santos, tinha o objetivo de se tornar então capital do país e só perdeu esse titulo em mil setecentos e sessenta e três. Para sua fundação chegaram ao país seis comitivas vindas de Portugal, e dentro delas mais de mil pessoas e também o primeiro governador geral do país, Tomé de Souza. Dali então a cidade passou a crescer, localizada num ponto estratégico, sendo a principal cidade do país. Por se localizar as margens da Bahia, a cidade recebia um grande número de navios de escravo, e foram eles que colaboraram para a construção da cultura do local, que se difere bastante do restante do Brasil. Iremos então conhecer um pouco mais da cultura tão rica dessa cidade.

O Candomblé 

Mesmo o Brasil sendo um país majoritariamente cristão, a Bahia é bastante dividida entre a religião católica (que veio ao país trazida pelos europeus) e o Candomblé (que chegou ao país com os escravos vindo da África). Os escravos que chegavam ao país eram obrigados a se converterem ao catolicismo, porém eles mantinham sua fé em sua religião original, o Candomblé. Como forma de preservar sua religião mas não serem punidos por não seguirem o catolicismo, eles encontraram uma solução: Assimilando as entidades católicas que tinham características parecidas com as entidades que eles adoravam verdadeiramente, assim, eles adoravam as imagens católicas mas crendo que elas eram as divindades de sua religião. Essa pratica é chamada de sincretismo religioso, e a cidade da Bahia atualmente a realiza de forma admirável, sem preconceitos com nenhuma das religião. É comum os católicos frequentarem os terreiros de candomblé e vice versa. Uma amostra desse sincretismo religioso é a comemoração do Senhor do Bonfim (representação de Jesus), que é realizada em janeiro, a comemoração também se dedica a Oxalá (que seria o pai da humanidade), o mesmo ocorre na comemoração a Iemanjá (Deusa do mar), que é realizada juntamente a uma celebração do dia da Nossa Senhora dos Navegantes, no dia dois de fevereiro. A religião na cidade tem uma influência muito forte, e está enraizada na cultura de toda a população, por fazer parte da história da cidade desde sua fundação. Os turistas que pretendem conhecer verdadeiramente a cidade da Bahia, tem que dedicar um tempo a conhecer um terreiro de Candomblé, e sentir um pouco dessa religião, que tem uma presença tão forte e bonita na cidade.

Gastronomia da Cidade

A gastronomia da cidade é outro ponto que chama muita atenção tanto no Brasil como no mundo afora com seus pratos deliciosos e de sabores fortes. A gastronomia também tem sua maior influência vinda dos africanos. Os dois principais ingredientes dos pratos culinários da cidade são o azeite-de-dendê (óleo extraído da arvore de palma) e o leite de coco, combinados a outros sabores como gengibre e pimenta, geralmente preparam pratos com frutos do mar, como ensopados, moquecas (cozido com peixes) e escabeches (espécie de conserva geralmente de sardinha e peixes menos nobre no vinagre). Alguns pratos mais conhecidos e falados da cultura baiana são: vatapá (prato que tem uma diversidade enorme de formas de preparação, mas que geralmente é feito com camarão ou bacalhau, pão molhado ou farinha de rosca, amendoim e temperos como pimenta, cebola, além do azeite-de-dendê que é indispensável); o Acarajé (bolinho feito de massa de feijão fritado no azeite-de-dendê); o caruru (cozido de quiabos ou de caruru que irá acompanhar o acarajé); Bobó de camarão (camarões refogados em leite de coco, temperos e purê de aipim); tendo além desses diversos outro pratos deliciosos e que são indispensáveis de se provar numa possível viagem a Bahia. A comida baiana pode ser encontrada na praia, em barraquinhas em feiras e também em restaurantes de comidas típicas.

Capoeira

A capoeira teve origem no Quilombo dos Palmares, e consiste numa mistura de dança e arte marcial. Salvador é considerado o centro da capoeira atualmente, é comum ver rodas de capoeira nas ruas, e as apresentações são de tirar o fôlego. Uma curiosidade é que ela foi proibida em mil oitocentos e noventa e dois, porém em mil novecentos e trinta e sete ela voltou a ser legal. Também chamada de samba de roda, pela parte instrumental que rege os movimentos feita com instrumentos instrumentos artesanais como o berimbau, pandeiro e atabaque.

Carnaval e Festas 

Já ouviu falar de Salvador sem falar de carnaval? A cidade esteve até no Guiness Book por ter o maior carnaval do mundo. Somente no carnaval Salvador recebe em média oitocentos mil visitantes, que comemoram junto aos moradores da cidade o carnaval durante uma semana, nos vinte e cinco quilômetros de rua que são separados para isso. Durante a comemoração trios elétricos com os cantores mais famosos da atualidade animam a festança, as músicas mais tocadas são o axé, pagode baiano e samba, há também os “blocos afros”, onde se tocam músicas mais voltadas para essa parte da cultura da cidade. Os trios elétricos mais famosos são: Circuito do Omar, Circuito do Dodô e Circuito da batatinha, além dos blocos como Olodum, Filhos de Gandhi e o Malê Debalê. O carnaval é um misto de axé, frevo, forró e calipso, a comemoração é uma das mais belas do mundo, passando pelas ruas coloridas da cidade. O festival de verão de Salvador é uma outra festa bastante tradicional da cidade, sendo realizada durante cinco dias e reunindo artistas de renome do país.

Pontos Turísticos 

A cidade exala cultura, então há muitos locais para se visitar. Com sua arquitetura colonial, o centro histórico da cidade é repleto de sobrados, palacetes, igrejas e conventos construídos no início da cidade, nos estilos ibérico e barroco e a arquitetura do local é incrível, ele foi tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade.  O Pelourinho é com certeza o bairro mais conhecido da cidade, repleto de casarões antigos, igrejas e museus, é também famoso por suas ladeiras, o bairro é o local mais visitado possuindo diversos restaurantes, bares e lojas. O Museu de Arte da Bahia está entre os dez primeiros museus fundados no país, além dele há mais de trezentos museus para se visitar na cidade. A cidade também tem forte ligação com o teatro, tendo mais de trinta teatros espalhados por ela, dentre eles o Teatro Castro Alves e Teatro Jorge Amado. O elevador de Lacerda é um dos pontos turísticos mais bonitos da cidade, é o primeiro elevador urbano do mundo, e possui uma vista indescritível. A igreja do Bonfim é a mais frequentada tanto pelos turistas quando pelos morados da cidade, é la que se encontra as famosas “fitinhas” que foram amarradas nas grades da igreja. O Mercado Modelo é o maior centro de artesanato da América Latina, no período colonial ele abrigava escravos no porão até serem leiloados, porém hoje é um local que exala cultura, encontram-se lá peças típicas da Bahia, além de várias barracas de comida. O Farol da Barra é famoso no Brasil todo e um local muito bonito para se visitar.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Américas
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *