Crenças Chinesas

A China é conhecida como um país multi religioso desde os tempos antigos. O confucionismo é uma crença indígena e é a alma da cultura chinesa, contou com o apoio popular e se tornou a ideologia que iniciou o feudalismo, mas, mesmo assim, não se tornou uma religião nacional. Com isso, muitas outras religiões foram levadas para o país em diferentes dinastias, mas nenhuma delas se desenvolveu ao ponto de se tornar unanimidade.

Crenças Chinesas

Crenças Chinesas

De acordo com uma pesquisa, 85% dos chineses têm uma religião e apenas 15% deles são ateus. Por ateu, considere aqueles que não têm fé em qualquer religião nem realizar quaisquer atividades relacionadas à religiões ou costumes populares.

Dentre os chineses, 185 milhões de pessoas acreditam no budismo e 33 milhões têm fé no cristianismo e acreditam na existência de Deus. Apenas 12 milhões de pessoas são taoístas, apesar de mais de cem milhões de pessoas já terem participado de atividades do Taoísmo. Dessa forma, fica claro que o Budismo é a crença que tem maior influência no país. As outras crenças mais populares são: taoísmo, confucionismo, islamismo e cristianismo.

Saiba maiores informações sobre as principais crenças chinesas:

Budismo

Presente na China há mais de 2.000 anos, o budismo foi sendo gradualmente aceito pela maioria dos chineses. O budismo não era apenas uma religião diferente, mas também uma cultura diferente, que influenciou em três aspectos principais: a literatura, a arte e a ideologia. Muitos poemas chineses famosos possuem ideias do budismo e muitas estátuas de pedra budistas podem ser encontradas no país, o que comprova sua grande influência.

A crença também promove a comunicação intercultural da China com países estrangeiros. Na Dinastia Tang (618-907), Jianzhen viajou para o Japão para propagar o Budismo. Xuanzang, que viajou para a Índia para aprender as doutrinas budistas, levou muitas informações sobre a língua dos países que visitou.

Agora, o budismo tornou-se a religião mais importante da China. Uma pesquisa mostra que 31% das pessoas que não seguem esta religião, já participaram de algumas atividades budistas e cerca de 17 milhões de pessoas já se converteram. Estes seguidores vêm de diferentes áreas, tais como os intelectuais, elites empresariais e pessoas comuns.

Recentemente, uma pesquisa concluiu que 39% dos intelectuais e empresários têm fé no budismo. Não é apenas o número de seguidores que está aumentando, o ensino do budismo também tem chamado a atenção da sociedade. A Associação Budista da China possui 34 universidades de diferentes níveis, bem como cerca de 50 revistas sobre as crenças e cultura. Na China continental há cerca de 13 mil templos e 180 mil monges.

Confucionismo

O confucionismo, não uma religião propriamente dita, é apenas um sistema ético e filosófico, que se desenvolveu a partir dos pensamentos de Confúcio e mais tarde foi tratado como um tipo de crença para educar as pessoas. A ideologia começou a conquistar o seu espaço sob o reinado do imperador Wu, da Dinastia Han (202 AC-220 DC), e tornou-se a ideia central do sistema feudal.

O confucionismo tem influência em todo o mundo. Em muitos países e regiões do mundo, como Reino Unido e Estados Unidos, as ideologias do confucionismo são ensinadas para difundir a cultura chinesa e expandir o idioma. Na China, você pode encontrar muitos templos de Confúcio, que é um lugar muito frequentado por pessoas antes de fazerem provas importantes.

Taoísmo

O taoísmo, originado há mais de 1.800 anos, no Período dos Reinos Combatentes, surgiu durante a Dinastia Han (25-220). Atualmente, existem cerca de 300 templos taoístas espalhados pela China e 5 escolas taoístas.

No ano de 1800, o taoísmo influenciou profundamente a cultura local, especialmente a medicina tradicional e a literatura. Com base em algumas teorias de alquimistas, como Wei Boyang na Dinastia Han Oriental, diferentes tipos de medicamentos prescritos foram criados por Sun Simiao e muitos outros médicos. Na literatura, muitos personagens fictícios estão intimamente relacionados com o taoísmo, como o Imperador de Jade. Além da China Continental, muitos taoístas vivem em Hong Kong, Macau e outros países.

Islamismo

Introduzido na China no século 7, durante a Dinastia Tang, o Islã tem mais de 1.400 anos de história no país. Atualmente, os muçulmanos vivem em todas as partes da China, mas as maiores concentrações estão em Ningxia, Xinjiang, Província de Gansu e de Qinghai. O sunismo foi o principal ramo do islamismo, seguido por quase todos os muçulmanos no país.

Cristianismo

O cristianismo foi introduzido na China durante a dinastia Tang, na época era conhecida como Nestorianismo. Depois de 1840, tomou conta de boa parte da população do país. Embora tenha sido suspenso depois de 1949, espalhou-se rapidamente nos últimos anos. Atualmente, cerca de 30 milhões de chineses são cristãos, e estão organizados em cerca de 97 paróquias. A maioria dos cristãos é encontrada na parte sul do país.

Considerações Finais

Além das cinco principais crenças, o povo chinês tem algumas outras crenças populares tradicionais. Mais de 200 milhões de pessoas acreditam na existência de almas dos seus antepassados, enquanto cerca de 700 milhões se dedicam a atividades de adoração destes antepassados. Cerca de 150 milhões de pessoas acreditam na teoria Fengshui e 140 milhões de pessoas acreditam no Deus da Riqueza.

A astrologia chinesa é muito popular e muitas pessoas pensam que seu signo pode decidir seu futuro. Por isso, esta crença é bastante popular entre os chineses. Agora, mais e mais pessoas gostam de saber mais sobre as constelações e sua influência em suas vidas.

Curiosidades Sobre as Crenças Chinesas

De acordo com o pensamento chinês, o mundo é povoado por um grande número de espíritos, tanto bons quanto maus.

No pensamento oriental chinês, yin e yang são as duas forças opostas e complementares que compõem todos os fenômenos da vida.

A concepção chinesa de vida após a morte é baseada em uma combinação de religiões populares chinesas, como o taoísmo e o budismo mahayana.

No pensamento chinês, tudo o que existe flui para fora do Tao, e os seres humanos são simplesmente um componente minúsculo dele.

O Tao é o princípio central do Taoísmo e é altamente influente em todo o pensamento chinês.


Desde os tempos antigos as crenças chinesas eram apenas a veneração a deuses que eram liderados por “Senhor Das Alturas”, chamado Shang Di. Porém, atualmente as religiões e crenças dos chineses são basicamente divididas entre o Confucionismo e o Taoísmo.

O Confucionismo é uma crença e filosofia chinesa criada por Confúcio, um pensador chinês que nasceu em 551 a.C. Os principais ensinamentos do confucionismo é a busca do Tao, ou seja, a busca do caminho superior para viver bem, em paz e equilíbrio entre o céu e a terra. Nesta religião não existe igreja ou sacerdotes, eles não acreditam em um deus criador de tudo, apenas a busca pelo Tao que é o equilíbrio do mundo e a fonte de toda vida.

O Taoísmo, como o nome já diz,  também é uma religião voltada para o Tao, que se baseia nas crenças antigas dos chineses como a alquimia, rituais de exorcismo, magia e o culto aos antepassados. Os mestres do Taoísmo dizem que tudo vem de uma fonte, o Tao, que é o mesmo do Confucionismo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Ásia
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *