Como Usar O Cordel em Sala de Aula?

Tradição que chegou com os europeus e que se encontra presente para demonstrar poesias que retratam os anseios populares. Em termos populares nas terras nacionais se diz que o gênero se chama folhetim. As poesias que surgem do nordeste brasileiro possuem traços com maiores sucesso porque retrata não apenas a visão do local como também da autêntica cultura brasileira. Por esse motivo consiste em conteúdo interessante para ensinar em sala de aula.

Roupas da Época Para Representar

Uma dica interessante para que a literatura de cordel fique viva dentro da sala de aula está em convidar os alunos a se vestirem a rigor para recitar os lamentos em formato de prosa rimada. Incentive o uso de roupas de cangaceiros, com chapéus gigantes, a cara pintada e outros tipos de trajes que incentivam também não apenas as artes cênicas como o saber de com funciona a cultura regional que se caracteriza de forma direto com a literatura de Cordel. Aumente os pontos da nota por causa da interpretação, estimule a criatividade em sala de aula.

http://www.youtube.com/watch?v=_EWLWUy0XKM

Tornar O Tema Atraente

Não adianta recitar coisas que os alunos não possuem a capacidade de entender no âmbito. Antes de tudo a literatura de cordel se trata de modo de se comunicar com o máximo de termos populares. Para salas de aula que nunca leu algo do gênero ou mesmo que não conhece ao fundo a história do país se faz necessário escolher os modelos básicos e aos pouco aumentar o nível das crianças. Outra forma de estimular está em dizer que o conteúdo está presente em parte dos vestibulares. Talvez com a mistura de artes cênicas durante o ensino o público pode aumentar o estímulo em aprender.

Práticas Básicas Para Usar Cordel em Sala de Aula

Professores que não possuem tempo o suficiente para organizar eventos interessantes a ensinar cordel podem ir para o caminho curto. Reúna os alunos em grupos de no máximo cinco pessoas. Passe textos diferentes para cada conjunto e forneça prazo de trinta minutos para a leitura, discutir o tema em grupo e fazer um texto dissertativo.

Na sequência peça para cada grupo ler o pequeno texto de cordel e depois fazer a leitura da redação. Discuta o tema. Pergunte para a sala de aula se alguém tem alguma dúvida. Nesse sentido todos os alunos podem aprender e participar das discussões.

A literatura de cordel tem o objetivo não apenas de estimular a criatividade na sala de aula como também fazer o resgate histórico de partes importantes do conhecimento dos pais e avós em termos populares. De fato a prática pode servir para unir a família. As crianças trazem para dentro de casa o que aprenderam na sala de aula.

Ler Ou Escrever? Eis A Questão!

Grande parte dos especialistas aponta que na primeira etapa os alunos possuem maior facilidade para fazer a leitura do que compor os versos. Porém, com o desenvolvimento da leitura o entusiasmo aumenta e as mentes começam a desenvolver os primeiros traços. Interessante notar que as crianças passam para o papel fatos e cotidianos que passam na vida cotidiana, o que de certa maneira representa forma de aumentar o entusiasmo e fazer com que a aula não fique com uma “cara chata”. Essa pode ser maneira interessante para descobrir novos talentos que possuem tendências de trabalhar como escritores.

Idade Para Ensinar A Literatura de Cordel

Especialistas pedagogos afirmam que a literatura de Cordel consiste em conteúdo que pode ir para a sala de aula a partir do sexto ano do ensino médio fundamental. Nada impede o ensino para classes fundamentais com adultos. Porém, o trabalho pode acontecer em níveis infantis, desde que exista material apropriado para ensinar.

Oficinas Com Autores

Não há como ensinar cordel de qualidade sem conhecer o conteúdo ao fundo. Professores que querem ensinar a matéria precisam frequentar sarais com poetas que trazem novidades do gênero. Existem autores de livros que promovem oficinas no sentido de capacitar os educadores a ensinar as futuras gerações para abastecer o número de poetas e ao mesmo tempo evoluir a tipo literário típico do Brasil.

Uso de Materiais Para Ensinar Cordel Na Sala de Aula

Com o boom da internet os professores podem encontrar materiais de diversas épocas e com validade acadêmica ao ponto de ensinar na sala de aula. A indústria nacional de livros também promove coleções de autores antigos e novos, cuja compra escolar traz descontos de aproximados vinte por cento em lotes superiores do que trinta unidades.

Outra forma de ensino que pode ser interessante para prender a atenção dos alunos estão nos documentários sobre literatura de cordel, cuja maioria retrata as condições dos artistas que vivem no campo e sofrem carência por causa de desigualdade social, falta de chuva para desenvolver agricultura, corrupção política, carência de reforma agrária, entre outros tópicos que representa problemas pontuais do Brasil desde as épocas coloniais. Assista ao vídeo que se segue e confira pequenos recitais nordestinos que podem ser usados na sala de aula com facilidade:

Não se esqueça de reunir a classe logo após passar os vídeos no sentido de discutir a literatura de cordel. Tenha em mente de que a função de professor também está em saber se o público compreendeu a matéria não apenas para fazer as provas como a levar o ensino para a própria vida.

Entre o Humor e A Miséria

Humor e miséria são dois tópicos que estão presentes de forma quase pontual na literatura de cordel. Por vezes o humor vem à tona seja para falar de problemas sociais ou a comentar sobre problemas que existem na família, ou mesmo “causos” que aconteceram entre amigos e conhecido. No entanto, quase sempre a miséria surge à tona para demonstrar a realidade do homem brasileiro que vive isolado dos grandes centros econômicos do país e que sofrem com a ausência de bens e serviços básicos para sobreviver.

Palavras do Cordel: Ao fazer a leitura os alunos devem perceber que o português não está escrito de forma correta de acordo com os padrões oficiais. Na prática os escritores escrevem como o povo fala.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Arte
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *