A Deusa Celta Morrigan

Morrigan

A Deusa Celta Morrigan

A Deusa Celta Morrigan

Morrigan é a deusa celta da batalha, conflito e fertilidade. Seu nome pode ser traduzido tanto como “A grande rainha” ou “A rainha fantasma”, títulos ambos apropriados para ela. Ela aparece tanto quanto uma deusa única quanto como um trio de deusas. As outras deusas que formam o trio são Badb (Corvo) e ou Macha (também uma palavra para corvo) ou Nemain (Fúria). A deusa é frequentemente representada como esta ave que lhe dá nome e é uma dos Tuatha Dé Danann (A tribo dos deuses Danu) que ajudou a derrotar os gigantes Firbolg e os Fomorian, nas duas guerras de Mag Tuireadh.

Origens

História

História

As origens de Morrigan datam à antiga cultura megalítica das deusas mãe. As mães apareciam geralmente como deusas tríplices e seu culto era expressado tanto através do êxtase de batalhe quanto do regenerativo. Até posteriormente na cultura celta, as deusas da soberania (Eriu, Banba e Fotla) aparecem em trio, e usam magia na batalha. A própria Eriu podia aparecer tanto como uma bela mulher quanto um corvo.

Aparentemente o conceito da deusa corvo da guerra não estava limitado aos celtas irlandeses, os gauleses tinham uma divindade parecida, chamada Cathubodva. E este conceito estava ligado ao mito das valquírias, pois ambas as divindades eram responsáveis por escolher os mortos em campo de batalha, ou por vezes até mesmo causar esta morte, levando seus escolhidos.

Os celtas tinham ainda o mito da “bean sidhe” a lavadeira dos mortos, que era vista lavando as roupas e armas dos guerreiros prestes a morrer, um papel similar e as vezes desempenhado por estas divindades. Neste ponto mistura-se um pouco de sedução ao caráter feminino desses seres, pois eles não matavam de fato os heróis, mas os deixavam em estado de estupor em batalha, causando assim sua morte.

Morrigan e Cu Chulainn

Sobre

Sobre

Ela apareceu ao herói Cu Chulainn (filho do deus Lugh) e ofereceu a ele seu amor. Quando ele não a reconheceu e ainda a rejeitou, ela disse a ele que o faria perder uma batalha. Quando ele foi morto, ela pousou em seu ombro em forma de corvo. O azar de Cu Chulainn foi nunca ter reconhecido o poder feminino da soberania oferecido a ele.

Ela apareceu a ele ao menos quatro vezes e em todas elas, ele não a reconheceu: Quando ela declarou seu amor por ele; depois que ele a feriu em acidente ela apareceu sob a forma de uma velha bruxa, a qual ele abençoou curando os ferimentos; em seu caminho para a última batalha, em que disseram que a deusa estava a lavar suas roupas e armas pois logo ele estaria morto e finalmente quando ele foi forçado por três bruxas (Morrigan em seu aspecto triplo) a quebrar o tabu de comer carne de cão.

2 comentários

  1. denilson aparecido gomes

    n sou nem melhor nem pior ki os ninguen +++++++++++++++++++++++++++++++++erraram ao tentar imitar elas e eles pois nos somos ultymus no mundo de deuses e deusas???????????????????????
    estao mexendo en caldeyros yncandecentes???????????????

  2. denilson aparecido gomes

    deus cuidas delas p/min oje e sempre?????????????????????

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>