Gêneros do Cinema: Conheça os Principais

O cinema é uma das artes que mais possuem gêneros. Existem pessoas que somente apreciam ação, enquanto que outras não dispensam um romance, ou mesma aquela comédia romântica. Especialistas em filmes conhecem bastante sobre todas as categorias existentes dentro deste mundo. Nas novas temporadas são inventados novos tipos e por este motivo nenhuma lista relacionada com o tema pode ser considerada completa. Conheça os principais gêneros do cinema.

Ação

Tema que está frequentemente misturado com outros gêneros (ficção científica, guerras, lutas marciais, entre outros). Normalmente, existe um conjunto de protagonistas que estão no lado bom da história, enquanto que os antagonistas fazem parte do inimigo. Até os dias de hoje, os filmes dos super-heróis extraídos dos quadrinhos fazem sucesso em nível mundial. O que seria do filme Guerra nas Estrelas sem os lendários confrontos com diversas mensagens implícitas?

É possível dizer que as três maiores séries de filmes, no que tangem a receita de bilheteria nos cinemas, possuem bastante ação: James Bond, Harry Porter e Guerra nas estrelas. Neste sentido, o gosto mundial por cinemas está intimamente relacionado com a ação. Sem ela, as metragens ficam paradas, cansando os telespectadores em cada diálogo.

Podem ser considerados como filmes que agregam superproduções com alta tecnologia e frequentes efeitos visuais. Os frequentes raios do Highlander já impressionava o público nos cinemas na metade da década de 1980. É possível considerar que a maioria dos filmes de ficção científica possuem alto nível de cenas de ação.

Musical

Gênero de filme que começou a ficar famoso somente na época em que o cinema deixou de ser mudo. Normalmente, traz diversas sequências de coreografias anexadas na narrativa. Especialistas entram em convergência ao afirmar que o teatro é a principal influência das metragens musicais.

Desde a época do Império Grego os artistas trabalhavam neste formato de apresentação cênica casada com música. Interessante notar que o desempenho qualitativo era exigido tanto pelos músicos e cantores como também entre os artistas que representavam as peças épicas.

Na década de trinta do século passado, já existiam mais de cem títulos relacionados com musicais cinematográficos. No entanto, a intitulada “época de ouro” aconteceu apenas nos anos sessenta, após o mundo implantar as reconstruções dos destroços promovidos pela Segunda Grande Guerra, quando surgiu um “boom” de superproduções que são lembrados até os dias de hoje, mesmo com falta de tecnologia marcante daqueles anos dourados. Alguns exemplos são:

  • Cantando na Chuva
  • Oklahoma
  • South Pacific
  • O Rei e Eu
  • Cinderela em Paris
  • Gigi
  • Amor, Sublime Amor!
  • A Noviça Rebelde
  • Mary Poppins
  • My Fair Lady

Documentário

Como o próprio nome já diz, são fatos expostos em formato de documento no intuito defender ou atacar alguma ideia. Também pode ser feito no aspecto publicitário para divulgar características bens, serviços e ambientes.

De qualquer maneira, os documentários são dirigidos no intuito de compreender a exploração da realidade. Porém, não é somente por causa do objetivo que as explicações são necessariamente consideradas válidas. Pelo contrário, quanto maior sucesso do documento em vídeo, mais chances existem de surgiram outros documentários para debater melhor a ideia que fez sucesso.

Nesta ótica, este gênero simboliza apenas uma visão sobre a realidade, podendo (ou não) ser complementadas com ideias de outros autores. A história do cinema afirma que o primeiro filme documentário foi teorizado por Dziga Vertov, no início do século XX. Sua ideia consistiu em defender a tese de que os olhos das câmeras podem sem mais fieis do que as visões geradas pelos olhos humanos. Lançado no ano de 1924, com o título de Cine-Olho.

Comédia 

Metragem que tem por objetivo provocar séries de risos no público. Pode ser considerado como um dos principais gêneros, ao lado do drama, assim como funcionava na base do teatro grego antigo. Caracterizado pela presença de brincadeiras presentes tanto no texto como nas imagens.

Alguns historiadores apontam que o primeiro filme do gênero foi lançado em 1896, na cidade de Paris, pelos irmãos Lumière, intitulado “L’arroseur Arrosé,” o que em português significa “O Regador Regado”.

Os estadunidenses eram campeões em lançar filmes mudos em preto e branco com imagens engraçadas de perseguições, jargões gestuais e surpresas entre os personagens envolvidos. O objetivo está em atingir, ao máximo, a hilaridade dos espectadores. A comédia muda pode ser considerada como principal tipo de protótipo cômico para o cinema.

Este tipo de gêneros fez sucesso nos Estados Unidos, que estavam no período de pós-guerra civil, com o capitalismo implantado e o caminho livre para a democracia do chamado sonho norte-americano.

Não se pode falar de comédia muda sem ignorar a presença de Charles Chaplin, pioneiro de grandes mudanças na forma de fazer filmes cômicos. Carlitos tinha a brutalidade dos americanos junto com a calma e charme dos ingleses, dois estereótipos que estão presentes no personagem que ficou eternizado como o eterno vagabundo com coração de ouro.

Drama

Os dramas retratam problemas relacionados com a rotina dos seres humanos. Cada autor conhecido registra como ninguém os dramas vividos pelas suas épocas, desde o tempo dos antigos gregos até à atualidade. No cinema, o termo está relacionado principalmente com presença de imagens que não possuem caráter cômico. Interessante notar que, dependendo da cultura do povo, pode acontecer variação entre este tipo de gênero e a comédia.

Nelson Rodrigues é um grande exemplo. Enquanto que no Brasil os seus contos são medidos como cômicos com pontos de sedução, em terras portuguesas a maioria dos telespectadores chora somente de lembrar-se dos dramas vividos pelos grandes personagens.

Romance

Pode estar aliado com a comédia ou suspense, embora esta não seja uma regra básica. De certo que o enredo amoroso deve estar presente de forma principal, independente das misturas dos gêneros. Normalmente no cinema, os romances aparecem como releituras de livros, caso de Romeu e Julieta, Zorro, entre outros. Contos de fadas nos quais os heróis desafiam o perigo em nome do amor também entram no gênero.

Suspense/ Terror

Baseado de forma principal no sentimento de ansiedade e incertezas que percorrem o corpo da audiência. Tensão medida como emoção primária na obra.

Por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Cinema
1.538

Função: Programação e SEO Formação: Bacharelando em Ciência da Computação – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Técnico em Informática Industrial – Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá (CTIG) Interesses:  Internet, Jogos, Esportes e Música

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *