Musical Tim Maia

Tim Maia – Vale Tudo, O Musical

Conhecido no meio musical por não ir aos próprios shows e não gostar de horários, Tim Maia, ainda assim se consagrou como um dos grandes nomes da música brasileira. Depois de sua morte em 15 de março de 1998 a música sentiu muito a sua falta e não faltaram homenagens para o ícone.

Dentre tantas homenagens a que merece mais destaque é o espetáculo “Tim Maia – Vale Tudo, o Musical”. A peça contou com texto de Nelson Motta, um dos nomes mais importantes do meio cultural, e apresentou a trajetória de vida de um dos maiores ídolos do país. Após um estrondoso sucesso a montagem retornou aos palcos ainda em 2013 para emocionar mais pessoas.

O retorno aconteceu numa curta temperada em São Paulo no Teatro Procópio Ferreira e no Rio de Janeiro no Theatro Net Rio. Na sua primeira temporada essa peça musical teve mais de 400 mil expectadores. O grande nome da primeira montagem foi o ator Tiago Abravanel que se tornou uma das principais revelações do espetáculo na pele de Tim Maia.

O Elenco

Para o retorno do musical em 2013 o ator Tiago Abravanel foii substituído por Danilo de Moura algumas apresentações e em outras ele se revezaram no papel-título. Na produção ainda estão atores como Izabella Bicalho, Bernardo La Rocque, Aline Wirley, Pedro Lima, Lilian Valeska, Pablo Ascoli, Andreh Viéri, Evelyn Castro, Reiner Tenente e Leticia Pedroza.

A substituição de Abravanel se deu pelo fato de que ele foi escalado para a novela das 21h da Rede Globo “Salve Jorge” e precisou viajar para a Turquia para gravar suas cenas. Mesmo tendo sido um dos motivos do sucesso do musical a peça continuou bem com o substituto.

A Estrutura do Musical

O musical sobre Tim Maia que se tornou um dos mais assistidos do país tem sua estrutura de narrativa dividida em blocos temáticos que contam com os grandes clássicos do cantor e compositor. As músicas servem para conceituar cada passagem deixando o expectador mais interado daquela fase de Tim.

A história começa a ser contada pela infância de Tim no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro. Depois a trama conta como começou o contato do artista com a música bem como a respeito das suas primeiras bandas “Tijucanos do Ritmo”, “The Sputniks” e “The Snackes”. Nessa fase, aliás, Tim conheceu outros nomes importantes da música brasileira como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Jorge Benjor.

O espetáculo também mostra momentos importantes como a partida do cantor para os Estados Unidos em 1959 e o grande sucesso da Jovem Guarda. A gravação do primeiro disco da carreira também aparece na peça. Para contar tanta história o musical tem 14 trocas de cenário por meio de uso de acessórios e alegorias.

Grandes Sucessos, Grandes Emoções

Claro que numa peça musical a respeito de um dos principais compositores de nossa música não poderiam faltar muitos sucessos. Dentre as músicas de Tim Maia que são interpretadas no palco estão “Vale Tudo” (que dá título a peça), “Primavera” (que já tem uma grande variedade de versões de artistas de outros estilos musicais), “Do Leme ao Pontal” (que é uma das primeiras músicas que as pessoas se lembram quando se fala no cantor), “Não quero dinheiro”, “Acende o Farol”, “Cerejeira Rosa”, “Eu amo Você”, “Gostava Tanto de você”, “Azul da cor do Mar”, “Padre Cícero”, “Você”, “These are the songs”, “Sossego” e “Chocolate”.

Tim Maia – Vida e Sucessos

Os mais jovens não tiveram a oportunidade de conhecer o trabalho de Tim Maia com ele em vida e talvez não saibam ao certo quem é esse interessante personagem que rendeu a criação de um musical tão reverenciado. O nome de batismo do artista era Sebastião Rodrigues Maia, ele nasceu no dia 28 de setembro de 1942 no Rio de Janeiro e faleceu no dia 15 de março de 1998 em Niterói.

Além de cantor e compositor, Tim Maia, era produtor, multi-instrumentista, maestro e empresário. Um dos principais feitos do artista é o de ser considerado como o introdutor do soul na música popular brasileira. Maia é um dos maiores ídolos brasileiros reconhecido no mundo todo.

A principal característica do seu trabalho era a sua voz rouca que marcou os seus grandes sucessos. Com tom grave as suas músicas tinham sempre um som carregado que conquistou muitas vendas.

O Começo de Tudo

Nascido no Rio de Janeiro, Tim Maia, conheceu grandes nomes da música brasileira ainda muito jovem quando nenhum deles imaginava o sucesso que viria a fazer. Entre os amigos do cantor de voz rouca estão Roberto Carlos, Jorge Benjor e Erasmo Carlos. Uma curiosidade é que no ano de 1957 Tim ajudou a fundar o grupo The Sputniks em que cantava junto com Roberto Carlos.

No ano de 1959 ele se mudou para os Estados Unidos e foi lá que teve o primeiro contato com música soul. Uma passagem não muito legal de sua estada na terra do Tio Sam foi ser preso e deportado por roubo e porte de drogas. Foi em 1970 que ele gravou o seu primeiro álbum intitulado “Tim Maia” no qual estavam músicas como “Primavera” e “Azul da Cor do Mar”.

Os Sucessos

A produção de Tim Maia se intensificou e nos três anos seguintes ele lançou diversos álbuns que levavam sempre seu nome como título. Dentre os grandes sucessos que apareceram nesses discos estão “Não Quero Dinheiro” e “Gostava Tanto de Você”. Entre os anos de 1975 e 1977 o cantor aderiu a chamada Cultura Racional que era uma doutrina filosófico-religiosa.

Isso influenciou as suas músicas e ele compôs sucessos como “Que Beleza” e “Rodésia”. Os críticos e o próprio Tim Maia perceberam que as suas músicas caíram significativamente de qualidade nessa fase e com isso ele se desiludiu dessa doutrina e retornou para o seu estilo de sucesso com músicas como “Me Dê Motivo” e “Descobridor dos Sete Mares”.

Artista Independente

Outra característica interessante da carreira de Tim Maia é que ele foi um dos primeiros artistas independentes do Brasil uma vez que seus discos foram gravados e lançados pela editora Seroma e a gravadora Vitória Régia Discos. O apelido de “Síndico do Brasil” foi dado a Tim pelo seu amigo Jorge Bem Jor na canção “W/Brasil” que é uma homenagem a agência de publicidade de Washington Olivetto.

A Morte de Tim Maia

Na década de 1990 a carreira de Tim Maia começou a ter vários problemas em especial com as Organizações Globo. Além de questões de cunho legal e profissional o cantor estava com a sua saúde bastante debilitada devido ao uso de drogas bem como a obesidade.

No dia 15 de março de 1998 ele precisou sair numa ambulância do Teatro Municipal de Niterói e após passar por duas paradas cardiorrespiratórias acabou não resistindo e falecendo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Eventos

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *