A Igreja Católica No Brasil

De acordo com as memórias brasileiras, a missa pioneira de origem católica em terras verde e amarelas aconteceu na Páscoa do mesmo ano em que o país foi descoberto, ou seja, 1500 DC. Não se pode ignorar o fato de que o padro de origem lusitana que estava nas caravelas foi quem celebrou o evento religioso. Porém apenas após meio século surgiu o primeiro templo do papa.

Papel dos Padres Católicos Pioneiros no Brasil

Liderados por Cabral, os portugueses foram os colonos da região, no ano de 1500. Português teria encontrado índios nativos numeração em cerca de sete milhões. A maioria eram peripatético, com a agricultura apenas limitada e habitações temporárias, embora aldeias por vezes tivessem até cinco habitantes. A vida cultural parece ter sido desenvolvida de forma rica, embora guerra tribal e canibalismo fossem onipresentes. Em termos práticos o principal objetivo dos primeiros padres católicos que chegaram à região foi catequisar o povo nativo.

Igreja Católica

Igreja Católica

O único item de valor que descobriram em imediato foi o pau-brasil a partir do qual eles criaram corante vermelho. Ao contrário da filosofia de colonização da espanhola, os portugueses no Brasil eram menos focados em conquistar, controlar e desenvolver do país. Nesse sentido se pode dizer que os padres católicos também serviram para manipular os indígenas não apenas para auxiliar no trabalho como também jamais contestar.

Interessante notar que o interior do país permaneceu inexplorado. No entanto, o açúcar logo veio para o Brasil e com ele os escravos importados. Para um grau inigualável na maioria das colônias americanas, os colonos portugueses de modo frequente se casaram com índios e os escravos africanos e também houve casamentos mistos entre os africanos e nativos. Como resultado, a população do Brasil é misturada a um nível que não é visto em outros lugares. Os católicos representavam fé de grande parte dos brasileiros.

Estado No Poder da Religião

Forte herança católica do Brasil pode ser rastreada pelo zelo missionário com o objetivo de difundir o cristianismo para os chamados “infiéis”, em outras palavras, os nativos brasileiros. Porém, as missões da igreja começaram a dificultar a política do governo de explorar nativos. No ano de 1782, os jesuítas foram suprimidos e o governo reforçou seu controle sobre a Igreja. Além de converter os nativos, também houve grandes esforços para fazer respeitar o catolicismo, incluindo a inquisição, que não foi estabelecida de modo formal no Brasil, mas ainda assim funcionaram colônias portuguesas.

Igreja Católica e Ditadura

Na segunda metade do século XX, o movimento da libertação, que incide sobre os pobres como os principais destinatários de Cristo, ajudou na busca por justiça social. A igreja organizou Comunidades Eclesiais em todo o país para se trabalhar causas sociais e políticas a nível local. Apesar do apoio dos clérigos mais altos para os militares, a ala progressista conseguiu fazer com que a Igreja fosse o único foco legítimo de resistência e defesa dos fundamentais direitos humanos durante o regime militar.

Religião Oficial do País

O catolicismo foi aplicado durante o regime colonial, em seguida, em 1824, virou a oficial crença da nação, que também garante a fé livre. O governo é secular desde 1891, mas os católicos ficaram com relativo poder em termos políticos até os dias atuais.

No final do século XIX, a população católica cresceu por causa dos italianos que imigraram ao país, bem como outros europeus que cultuavam a mesma fé. Em 1889, a nação se tornou uma república e aprovou uma constituição que separa a Igreja do Estado, uma tendência seguida por todas as constituições republicanas em terras nacionais. Durante o Império, o catolicismo era a religião oficial. Na prática a separação entre Igreja e Estado no país acontece com pouca força. Em termos gerais os funcionários do governo evitam tomar medidas que possam ofender os católicos.

Questão de Aborto

Um exemplo recente da influência da Igreja sobre políticas foi à modificação da proposta do aborto, após pressão dos bispos. Essa especial modificação, junto com outras, provocou a crítica por parte dos membros da pela Anistia Internacional.  No entanto, o governo manteve as questões que perturbam a Igreja no Programa, tais como o seu apoio para o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Batizado

Batizado

Número de Católicos no Brasil

Cerca de 60 por cento dos habitantes urbana do Brasil reivindica uma filiação católica. Existem misturas de outras doutrinas com católicos brasileiros. Há uma sobreposição das fés afro-brasileiras com as crenças e práticas católicas, que muitos brasileiros católicos não acham incompatível com a sua fé. Um exemplo é a Festa do Bonfim, um ritual em que mães-de-santo se reúnem para lavar as escadarias do templo na capital da Bahia. Os católicos são propensos a acreditar em amuletos de boa sorte, adivinhos, curandeiros e astrologia.

Imagem de Amostra do You Tube

Números e Católicos no Brasil

Os católicos brasileiros possuem a maior pontuação no globo terrestre sobre a imagem do Senhor de forma amorosa. Eles também são propensos a ver a natureza humana boa ao invés de corrupto entre o povo, e o mundo como bom um ruim. Menos propensos a acreditar no literal, palavra por palavra na interpretação da Bíblia do que os protestantes. Cerca de 40 por cento assiste missas pelo menos uma vez por mês, quase o mesmo nível que a dos católicos norte-americanos Por volta de 75 por cento oram todos os dias, mas apenas 12 por cento se envolvem em atividades da igreja. Apenas 26 por cento dizem que são “religiosos ao extremo”.

Imagem de Amostra do You Tube

Maior Nação Católica

Como a maior nação católica do globo terrestre a educação do gênero tem uma grande tradição no Brasil. Foram fundados os primeiros centros com o objetivo de evangelizar nativos brasileiros. No final do século 18, o ministro Marquês de Pombal atacou e expulsou os jesuítas de Portugal e suas possessões ultramarinas. Ele aproveitou as escolas jesuítas e introduziu reformas educacionais em todo o Império. Desde então, os centros de ensino público são seculares, mas os centros de ensino católicos privados estão entre os melhores do país. De acordo com o Ministério da Educação há por volta de 30 universidades católicas no Brasil. A primeira delas foi fundada pelos Irmãos Maristas, em 1931.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>